O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Após 30 dias da entrega do relatório da CPI, vereadores cobram prefeito para tirar a Saneouro de Ouro Preto

Na última quinta-feira, 4 de novembro, a entrega do relatório da comissão completou exatos 30 dias e a empresa segue atuando na cidade.

Rômulo Soares 9 de novembro de 2021 às 15:39
Tempo de leitura
5 min
Foto: Facebook / CMOP
Foto: Facebook / CMOP

Durante a 75ª reunião ordinária da Câmara de Ouro Preto, foi apresentado o Requerimento Nº 483/2021, solicitando ao prefeito Angelo Oswaldo (PV) informações sobre ações da Prefeitura Municipal referentes ao relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou o contrato de concessão firmado entre o Município e a Saneouro. Na última quinta-feira, 4 de novembro, a entrega do relatório da comissão completou exatos 30 dias e até o momento a empresa continua atuando na cidade e continua tentando hidrometrar os bairros e distritos que restam.

O autor do requerimento, vereador Júlio Gori (PSC), lembrou que Angelo Oswaldo utilizou a pauta da Saneouro durante a sua campanha e, inclusive, prometeu retirar a empresa da cidade. O membro do poder Legislativo também voltou a falar de um possível impeachment do atual prefeito de Ouro Preto.


“Nós estamos aqui para ajudar o prefeito, o maior cabo eleitoral que você teve, eu sou o que mais está te ajudando, com todo o respeito aos demais. Nós estamos querendo te ajudar e o prefeito não está fazendo nada, uma vergonha. O prefeito não é ignorante, é estudado. Antes de fazer essas promessas, ele é advogado, tem cinco idiomas e não leu essa concessão? Isso não é desculpa, agora tem que cumprir, pagar o que tem que pagar e mandar essa Saneouro para o quinto dos infernos. É um tapa na cara que ele está dando na cara do povo e de todo mundo aqui dentro, uma vergonha. Contrata um escritório especializado para arrancar, já que essa procuradoria não dá conta. Tem que tirar a empresa, se não nós vamos tirar ele, o recado está dado”, disse Júlio Gori.

O relatório feito pela CPI também foi entregue ao Ministério Público para apuração dos fatos, mas o vereador Renato Zoroastro (MDB), que foi relator da CPI, também cobrou ações do prefeito contra a empresa e salientou que não se pode aguardar os trabalhos do MP para que se tome alguma providência.

“Temos que cobrar, é a quarta semana e estamos aguardando ações. Em relação ao Ministério Público, estamos esperando que ele apure os fatos, mas não foi o Ministério Público que falou que ia retirar, a primeira ação tem que partir do Executivo. Não adianta abrir uma ação e entregar no Ministério Público, porque vai dar a entender que está aguardando o resultado do Ministério Público. Fica parecendo que está lavando as mãos. Não vamos aceitar. Tem que abrir um processo administrativo e divulgar o que está acontecendo”, opina Renato Zoroastro.

O vereador Wanderley Kuruzu (PT) já se posicionou de forma diferente, dizendo que está confiante na retirada da empresa, conforme Angelo Oswaldo prometeu, principalmente pela incompatibilidade presencial da Saneouro e a população na cidade.

Kuruzu também lembrou sobre o reajuste tarifário de quase 22% que deverá acontecer em dezembro, deixando a água mais cara em Ouro Preto.

“Não há espaço político na cidade para o prefeito Angelo Oswaldo, a Saneouro e o povo de Ouro Preto. Eu estou muito confiante que (a Saneouro) vai sair. Digo do fundo do coração. Como ela vai ser tirada eu não sei, mas não acredito que vai ficar, porque não tem jeito, vai ficar insustentável. Imagina quando a conta começar a chegar nas casas das pessoas, agora com quase 22% de reajuste, depois tem tratamento de esgoto. Vai haver revolta, desobediência civil, por isso que eu estou confiante”, disse Kuruzu.

Já o vereador Matheus Pacheco, do Partido Verde (PV), o mesmo de Angelo Oswaldo, revelou que o prefeito não só tem interesse em resolver a situação, como disse que irá judicializar uma ação contra a Saneouro.

“O prefeito Angelo Oswaldo já tem diversas conversas adiantadas conosco (vereadores da base do Governo) em relação à procuradoria no sentido de judicializar uma ação contra a empresa Saneouro. Ainda não fez, mas sabemos que isso irá acontecer. Pelas falas do prefeito Angelo, há muito interesse em resolver essa questão, no entanto, é necessário buscar os caminhos para que isso aconteça. Nós da Câmara estamos de todas as formas tentando solucionar. Tem um mês que toda reunião eu trago alguma representação reclamando do serviço da Saneouro em algum bairro. Estou muito preocupado”, revelou Matheus Pacheco.

O presidente da Câmara Municipal, Luiz Gonzaga do Morro (PL), revelou que esteve na casa do prefeito recentemente e perguntou a Angelo se ele realmente tem o interesse de tirar a empresa da cidade. Segundo o vereador, o chefe do poder Executivo respondeu de forma positiva e que faria o possível para conseguir tal feito dentro da legalidade, mas que não toparia fazer a encampação (somente em último caso), por conta do alto gasto que isso teria.

“Eu venho de um partido de centro, mas eu sinto que estou sendo queimado se demorar e não tirar essa empresa, porque eu estava no discurso junto (com Angelo Oswaldo), eu subi morro, apoiei Regina e Angelo. Tem que ser mais rápido, não pode demorar mais três anos não”, finalizou Luiz Gonzaga.

O requerimento foi aprovado com 12 votos e será encaminhado ao poder Executivo municipal. A reportagem do Mais Minas entrou em contato com a assessoria do prefeito Angelo Oswaldo, que não respondeu à solicitação até o momento desta publicação.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 9 de novembro de 2021 às 18:17