O que você procura?
Renova banner


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Zema evita conflito com Bolsonaro: "tem direito de se manifestar"

Rômulo Soares 20 de abril de 2020 às 18:21
Tempo de leitura
5 min

Recentemente, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), se envolveu em polêmicas durante o último final de semana. Ele não assinou a carta aberta dos governadores contra as declarações de Jair Bolsonaro, que tem criticado o Congresso nacional durante o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Inclusive, o presidente da República tem descumprido as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), comparecendo em reuniões de pessoas com aglomerações e fazendo discursos a favor de uma intervenção militar.
Na tarde desta segunda-feira (20), Romeu Zema compareceu à TV Globo para dar esclarecimentos e informações quanto à situação do coronavírus em Minas Gerais. Durante a entrevista, mais uma vez, o governador se esquivou de criticar o presidente da República, dizendo que “um governador deve se ater à gestão do seu estado. Eu já tenho tantos incêndios para apagar em Minas Gerais, com uma crise financeira descomunal”.
Mas Zema não deixou de comentar que há falas e ações de Bolsonaro que são desnecessárias dentro do plano da pandemia que o Brasil vive atualmente. “Eu vejo que está havendo um movimento desnecessário com relação a algumas falas do presidente. Eu costumo dizer, que se ele arrotar, vai virar motivo de alguém se manifestar”, afirmou o governador.
Quanto ao coronavírus no estado, Zema disse que, em comparação aos outros estados, Minas Gerais tem uma curva menor na evolução da doença. E ainda, o governador confirmou que, neste momento, a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 3%, mas que pode subir dez a quinze vezes, e mesmo assim, haverá unidades e atendimentos para todos.

Recentemente, Romeu Zema assinou um decreto que obriga o uso de máscaras para todos no estado, como medida de prevenção ao coronavírus. Já quanto à reabertura do comércio, o governador disse que estuda possibilidades e protocolos alternativos para os prefeitos.

Carta contra Bolsonaro

Em uma carta aberta, 20 governadores estaduais manifestaram apoio à atuação do presidente do Senado, Davi Alçolumbre (DEM-AP), e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para atender as necessidades dos estados em meio à crise do coronavírus. O documento, com data de sábado (18), foi divulgado neste domingo (19).
Dos 27 governadores, 20 assinaram o documento. Além de Zema, ficaram de fora Gladson Cameli (Acre), Wilson Lima (Amazonas), Ibaneis Rocha (Distrito Federal), Ratinho Júnior (Paraná), Marcos Rocha (Rondônia) e Antônio Denarium (Roraima).
Leia a carta na íntegra:
“O Fórum Nacional de Governadores manifesta apoio ao Presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e ao Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, diante das declarações do Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a postura dos dois líderes do parlamento brasileiro, afrontando princípios democráticos que fundamentam nossa nação.
Nesse momento em que o mundo vive uma das suas maiores crises, temos testemunhado o empenho com que os presidentes do Senado e da Câmara têm conduzido, dedicando especial atenção às necessidades dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios brasileiros. Ambos demonstram estar cientes de que é nessas instâncias que se dá a mais dura luta contra nosso inimigo comum, o coronavírus, e onde, portanto, precisam ser concentrados os maiories esforços de socorro federativo.
Nossa ação nos Estados, no Distrito Federal e nos Municípios tem sido pautada pelos indicativos da ciência, por orientações de profissionais da saúde e pela experiência de países que já enfrentaram etapas mais duras da pandemia, buscando, neste caso, evitar escolhas malsucedidas e seguir as exitosas.
Não julgamos haver conflitos inconciliáveis entre a salvaguarda da saúde da população e a proteção da economia nacional, ainda que os momentos para agir mais diretamente em defesa de uma e de outra possam ser distintos.
Consideramos fundamental superar nossas eventuais diferenças através do esforço do diálogo democrático e desprovido de vaidades.
A saúde e a vida do povo brasileiro devem estar muito acima de interesses políticos, em especial nesse momento de crise.”

Zema valoriza luta pela Democracia

Após não assinar a carta aberta dos governadores estaduais contra o presidente Jair Bolsonaro, Romeu Zema foi até sua conta no Twitter justificar sua posição e ainda, reforçando que não ter feito o ato contra o presidente, não diminui seu apreço ou luta pela democracia.

“Pessoal, por favor, não assinar uma carta não diminui meu apreço ou luta pela Democracia. Não sou a favor da volta do regime militar. Não consigo imaginar como, ainda hoje, um discurso contra a Democracia possa ter eco. Defender a Constituição e as instituições é meu dever!”, declarou o governador.

Zema ainda disse que não consegue “imaginar como, ainda hoje, um discurso contra a democracia possa ter eco”.
“Não cabe a mim discutir o relacionamento entre os Presidentes da República e Câmara. Meu compromisso é a construção de pontes em Minas com os chefes de poderes por meio de uma relação amistosa, republicana e respeitosa. Meu compromisso é com a vida e a liberdade do povo mineiro”, afirmou Zema em sua conta no Twitter.
Veja também: Número volta a crescer e Minas Gerais chega a 41 mortes por coronavírus

Inscreva-se no nosso boletim informativo

Inscreva-se para receber as principais notícias veiculadas no nosso site em sua caixa de entrada, uma vez por dia.

Não fazemos spam! Leia nossa política de privacidade para mais informações.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 14 de setembro de 2021 às 15:08