Belo HorizonteCoronavírusDestaque

Praça da Liberdade e Parque JK são interditados pela Prefeitura de Belo Horizonte para evitar aglomerações

A partir do próximo sábado (4), a Praça da Liberdade, no bairro Funcionários, e o Parque JK, no bairro Sion, serão interditados pela Prefeitura de Belo Horizonte.

A ação tem como objetivo garantir que não haja circulação de pessoas nesses locais e, ocasionalmente, aumente o risco de transmissão do novo coronavírus. Com isso, a Guarda Municipal estará atuando nesses espaços realizando a fiscalização.

E ainda, visando cada vez mais o isolamento social, a Prefeitura de Belo Horizonte está fixando cartazes alertando a proibição da circulação de pessoas durante a noite desta sexta-feira (3). Os avisos tem escrito: “Por medida de segurança, esta praça foi interditada para uso público”.

O anúncio completo contido nos cartazes tem o seguinte texto: “Excepcionalmente, a prefeitura está restringindo o uso de alguns espaços públicos da cidade. Essa é uma medida que busca proteger a saúde pública e evitar a criação de ambientes de proliferação da Covid-19. A compreensão da população é muito importante neste momento. Logo, a normalidade estará restabelecida, e este espaço será reaberto com segurança para os usuários”.

O tempo da interdição dos espaços é por tempo indeterminado e, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Belo Horizonte, a interdição de outros locais também é estudado pelo Município.

Posicionamento de Kalil

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, já se manifestou diversas vezes sobre a importância do isolamento social, descordando publicamente dos outros municípios que descumpriram esta que é uma recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. E também, o chefe do poder Executivo da capital mineira já entrou em atrito, inicialmente, com o governador do estado, Romeu Zema, e também criticou as pessoas que saíram às ruas para manifestarem a favor do presidente da República Jair Bolsonaro.

Recentemente, na última quinta-feira (2), Kalil determinou que a partir da próxima segunda-feira (6), não haverá circulação dos ônibus de Lagoa Santa na capital mineira. O motivo da ação feita pelo prefeito de Belo Horizonte foi pelo fato da cidade localizada na região metropolitana ter reaberto seu comércio em plena quarentena devido ao coronavírus.

Coronavírus em Belo Horizonte

De acordo com o balanço mais recente divulgado pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), são 222 casos confirmados do novo coronavírus em Belo Horizonte e três óbitos pela doença. Outros 14.807 pacientes ainda estão sob suspeita e estão sendo investigados.

Comentários do Facebook
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar