Receita paga primeiro lote do Imposto de Renda 2019 nesta segunda (17)

Nesta segunda-feira (17), a Receita Federal faz o depósito do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2019. Nesse lote, 2,6 milhões de contribuintes receberão cerca de 5,1 bilhões de reais. Serão contemplados os idosos acima de 80 anos, contribuintes com algum tipo de deficiência física ou mental, doentes graves e professores.

O valor da restituição estará corrigido em 1,54% relativo à taxa Selic de maio a junho de 2019. Após depositada, a restituição fica disponível no banco por um ano.

Assim, se o contribuinte não fizer o saque nesse prazo, deverá requerer pela internet, através do Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Datas

Os lotes serão liberados mensalmente. Após as prioridades, o Fisco paga os demais contribuintes pela ordem de chegada, ou seja, quem entregou a declaração do Imposto de Renda nas primeiras semanas receberá a restituição nos primeiros lotes. Sete lotes de IR serão liberados entre junho e dezembro, na segunda quinzena.

Datas de restituição divulgadas pela Receita Federal – Crédito da imagem: Reprodução/Receita Federal

Situação da Declaração

Para conferir os que foram contemplados no primeiro lote, acesse o site da Receita Federal. Também pode ser consultado através do Receitafone, no número 146. É necessário ter o número do CPF e a data de nascimento do contribuinte.

Se tiver entrado no lote, a situação da declaração será “crédito enviado ao banco”. Se aparecer como “Processada – em fila de restituição”, a Receita não encontrou pendências na declaração e irá liberar o pagamento nos lotes seguintes, mensalmente até dezembro na segunda quinzena de cada mês. Se estiver como “Processada”, não há problemas no imposto, mas o contribuinte não tem dinheiro a receber.

Se aparecer a mensagem “Com pendências”, é necessário que o contribuinte faça uma retificadora, que pode ser feita pelo menos programa em que foi enviada a declaração neste ano.

Comentários