Rima em Prosa #27: Babu fala sobre novos projetos artísticos, versatilidade e ligação com o rap

Após participar da vigésima edição do Big Brother Brasil, Babu Santana se tornou um fenômeno nas redes sociais. Com quase 20 anos de carreira, o premiado ator e músico lutou para conseguir alcançar o merecido reconhecimento. Hoje, curtindo a fama e a popularidade nacional, o artista vem trabalhando em novos projetos. Na TV Globo, onde tem contrato, irá interpretar um dos novos personagens que irão surgir na segunda parte da novela Salve-se Quem Puder, que está prevista para ir ao ar em 2021.

Ele também está trabalhando em desenvolver sua carreira musical. Além de alguns lançamentos solo, o cantor fez feat no single Morrão, lançado pelo produtor carioca Papatinho em junho. A faixa também conta com a participação do rapper L7NNON, também natural do Rio de Janeiro.  

Convidado dessa semana na Rima em Prosa, Babu nos contou um pouco de sua ligação com o rap e falou de seus novos projetos artísticos, que envolvem a música, o teatro e a televisão.

Babu Santana – Foto: Christoffer Pixinine

Ligação com o rap

Desde o começo do BBB 20, Babu ganhou a torcida de grande parte do público que acompanha o rap nacional. Apoio que surgiu, em grande parte, por conta dos diálogos atuais e contundentes que o ator propôs dentro da casa. Ele levantou pautas sociais muito importantes, como racismo, machismo e representatividade; sempre contando histórias e relatos de sua vivência enquanto homem negro e de origem humilde. Além disso, ele também citou diversos rappers ao longo do confinamento, ressaltando o quanto gostava de nomes como Djonga e BK’. 

“Eu sempre escutei rap. É um estilo que fala da realidade, da representatividade; é um grito do povo, sobre tudo do povo preto. Mano Brown, Emicida e Djonga são alguns caras que admiro muito. Artistas de grande talento e necessidade neste país e no mundo. Desde muito jovem eu me identifico com essas canções, porque falam de verdades que carrego, que já senti e sinto na pele. Então a gente cria um amor por aquilo que acolhe. Isso é um rap pra mim”, disse Babu, contando um pouco do início de sua trajetória com o rap. 

Perguntei ao cantor se ele mantinha amizade com alguns nomes do hip-hop, e ele disse que sim,  revelando alguns dos artistas com quem mantém contato:

“Djonga é um cara super próximo, fez uma música que fala de mim; Rael é um cara que admiro demais, fiz uma participação na live dele e foi muito bacana. Tem o Projota, a Karol Conka e a Negra Li que, inclusive, participaram do Fechado com o Paizão, que é um quadro no meu canal YouTube, e a maravilhosa da Drik Barbosa, que torceu bastante por mim durante o programa”. 

Quem também participou do Fechado com o Paizão foi o Papatinho. Citado no início da matéria, o beatmaker, que é integrante do grupo ConeCrew, produziu a faixa Morrão, que conta com o participação de Babu Santana e L7NNON. Lançada junto de um belo videoclipe, a música já conta com mais de três milhões de visualizações no YouTube e foi o primeiro trabalho de Babu no rap.

Morrão foi um convite muito especial que recebi após a saída do BBB. Fiquei muito feliz e em êxtase, pois Papatinho e L7NNON são artistas que eu admiro demais. Além disso, a canção e o clipe fazem várias referências ao Vidigal, favela onde cresci e me orgulho. É um ritmo que te deixa para cima e conta uma história, fala das raízes. É maravilhoso fazer a arte refletir questões que para nós são tão importantes”, disse o músico. 

Playlist do Babu

Citado pelo ‘Paizão’ durante o Big Brother, o rapper BK’ lançou seu terceiro disco, no mês passado. Intitulado O Líder em Movimento, esse trabalho tem feito bastante sucesso e está atraindo críticas positivas tanto do público, quanto de outros artistas. Durante a nossa entrevista, perguntei a Babu se ele havia ouvido o disco: “Ouvi falar, claro, mas quero parar pra ouvir com toda atenção que uma obra assim merece. Sei que é um disco que traz uma mensagem que é maravilhosa e cada vez mais necessária: as lutas raciais e a força para se manter aqui neste mundo cruel e racista”, respondeu o global, que também falou sobre o que tem tocado em sua playlist:

“Na minha playlist toca muitas coisas, inclusive tem uma que se chama É som de PRETO, dá um liga lá no Spotify e me conta depois. Só gente fera e de representatividade e talento único. Pretos e pretas cantando amor e dor”.

Confira a playlist:

Transição entre as diferentes vertentes da arte

Babu é um artista multifacetado. Na ativa desde 2001, ele já atuou no cinema, na televisão, no teatro, na internet e na música. Seja como ator, cantor, diretor ou apresentador, ele está sempre a mostrar o seu talento. 

“Acredito que é importante, como artista, buscar diversas facetas. A arte exige isso de nós. É bacana conseguir transitar entre diversos formatos, porque isso te dá a possibilidade de viver histórias incríveis e construir personagens memoráveis. Eu amo todas as frentes de manifestação artística e, claro, cada uma delas tem suas peculiaridades. Contudo, para crescer e transitar nos formatos, é imprescindível que se estude, se atualize. A gente não pode parar” disse ele, ao ser perguntado sobre sua facilidade para transitar entre as diferentes veias artísticas. O Paizão também respondeu se há ainda alguma vertente em que ele não atuou, mas deseja atuar:

“Quero continuar cantando com minha banda: Babu Santana e Os Cabeças de Água-viva e, também, seguir fazendo shows e criando personagens. Quero me dedicar aos roteiros e direção, por isso, inclusive, já tenho planos para consolidar minha produtora”, finalizou.

Futuros projetos

Neste exato momento estão acontecendo as gravações da segunda temporada da novela Salve-se Quem Puder, da Rede Globo. A produção entrou em hiato devido a pandemia de covid-19, que fez o mundo inteiro entrar em quarentena. Quando ainda estava confinado no BBB, Babu foi um dos atores escalados para entrar nesta nova fase da obra. Ele interpretará o policial federal Nanico, que tentará proteger as personagens Alexia (Deborah Secco), Luna (Juliana Paiva) e Kira (Vitória Strada) da vilã Dominique, vivida por Guilhermina Guinle. Nanico fará par romântico com Ermelinda (Grace Gianoukas). Babu falou a respeito desse papel e de sua nova rotina:

“Minha rotina está bem corrida, mas muito satisfatória. Estou muito feliz com este novo trabalho. Estava com saudades do set. Já estamos gravando e, com todos os protocolos rígidos de segurança. Meu personagem será o policial Nanico e estou aproveitando o tempo pra estudar, mergulhar em referências e, assim, compor um personagem que me deixe feliz e marque o público. 

Por fim, ele também comentou um pouco sobre sua expectativa sobre seus novos projetos:

“Eu já lancei três singles: Sou Babu, Soul África e Morrão. Agora estou rascunhando outras canções, mas tudo ainda bem embrionário. Estou animado com a possibilidade de poder escrever músicas, pensar em projetos no teatro e, também, para meu canal. Muitas novidades estão à caminho”, respondeu o artista. 

Escrita por João Victor Pena, Rima em Prosa é a coluna especializada em rap do Mais Minas. Nela, são publicadas notícias, matérias e entrevistas relacionadas à tudo de principal que tem ocorrido no rap nacional. Caso tenha gostado da entrevista com o Babu Santana, recomendamos a leitura de nossas matérias com KL Jay, Sain e Alt Niss.

Deixe seu comentário