Governo de MinasMinas GeraisPolíticaReforma da Previdência

“Se estados e municípios não forem incluídos na Previdência por bem, irão por mal”, diz Zema

Nesta segunda-feira (12), o governador de Minas GeraisRomeu Zema (NOVO), em entrevista ao Jornal da Manhã da Jovem Pan, declarou  otimismo quanto à inclusão de estados e municípios em uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela à da reforma da Previdência.

“Estou extremamente otimista: no Senado, é certo que teremos essa aprovação, e como tivemos um placar muito mais favorável que o previsto na Câmara, também sou da opinião de que nós vamos conseguir passar através da PEC paralela. Mas se não for feita por bem, agora, vai ser feita por mal em seis meses, um ano”,
afirmou o governador mineiro.

Zema ressaltou a dificuldade de aprovar reformas individuais para cada estado ou município, pois seria algo muito trabalhoso e que acarretaria problemas, tanto para os estados quanto para o governo federal, que teria de socorrer as unidades da federação num tempo curto.

  Mais de 90% das prisões de Minas Gerais têm superlotação

Muitos estados estão tendo suas contas deterioradas de forma muito rápida. Além disso, temos a questão legal: caso a PEC paralela não passe, vamos envolver 27 Assembleias Estaduais e 2.198 Câmaras Municipais, fazendo uma colcha de retalho legislativa, que vai ser algo monstruoso e não definitivo”, disse Zema.

Zema destaca mudanças realizadas em sua gestão

Durante a entrevista, o governador ressaltou algumas mudanças realizadas em sua gestão.  Segundo ele, por exemplo, seus antecessores moravam em um palácio com 31 empregadas e 7 aeronaves à disposição. “Eu sou o primeiro governador morando em uma residência comum, com uma diarista duas vezes por semana e sem aeronaves”, destacou.

Fechar