Sérgio Moro cancela ida à Câmara para dar explicações

O ministro Sérgio Moro, que comanda o ministério da Justiça e Segurança Pública, cancelou sua ida à comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados marcada para a última quarta-feira (26), para, novamente, dar explicações sobre as mensagens atribuídas a ele trocadas com procuradores da Operação Lava Jato divulgadas pelo site “The Intercept Brasil”. O cancelamento da ida de moro à Câmara dos Deputados foi confirmado pelo presidente da comissão, Felipe Francischini (PSL – PR).

A assessoria de imprensa do ministro, por meio de uma nota, informou que Moro não poderá comparecer à audiência na Câmara devido a uma viagem oficial aos Estados Unidos. Além disso, sua assessoria também informou que a ida de Moro a Câmara se tratava de um convite, e não de uma convocação, por isso o ministro não era obrigado a comparecer. Uma nova data para a ida de moro à casa ainda não foi marcada.

Na semana passada, o ministro compareceu espontaneamente a uma audiência na CCJ do Senado para tratar do mesmo assunto. Na oportunidade, Moro afirmou não ter nada a esconder sobre as conversas e negou qualquer conluio com o Ministério Público para atingir grupos políticos, dizendo estar absolutamente tranquilo sobre a correção de suas decisões quando atuava como juiz. O ministro ainda destacou não ter nenhum apego ao cargo que ocupa no governo Jair Bolsonaro.

Vazamento de mensagens

O site The Intercept Brasil tem publicado o teor de algumas conversas entre Sérgio Moro, quando o ministro atuava como juiz a frente dos processos da Operação Lava Jato em Curitiba, e procuradores da força-tarefa da operação anticorrupção.

De acordo com o conteúdo divulgado pelo site, Moro parece orientar ações aos integrantes que atuavam na operação. O conteúdo da série de reportagens publicadas pelo The Intercept mostra diversos trechos de mensagens trocadas entre o ministro e integrantes da força-tarefa da Lava Jato nos últimos anos.

Comentários