Sindicato e internautas criticam retorno de aulas na rede estadual

0 comment

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) anunciou que o ano letivo será retomado na próxima segunda-feira (18), com aulas remotas, via internet. Segundo o órgão, o retorno tem como objetivo reduzir os impactos da pandemia do novo coronavírus sem aumentar os riscos de transmissão. Mas, após o anúncio, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) e diversos internautas se mostraram contrários ao retorno.

O Sind-UTE lançou uma nota no qual se posiciona de forma contrária ao retorno, citando a decisão do Tribunal de Justiça que suspende a convocação dos servidores da educação.

A decisão, assinada pelo Desembargador Bitencourt Marcondes no dia 15 de abril, atende a um pedido do Sindicato Único do Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), que alega que o retorno às atividades escolares, mesmo sendo feito de forma remota, quebra o isolamento social em uma data próxima a que é estipulada como a de pico do coronavírus em Minas Gerais.

Veja a publicação do Sind-UTE/MG:

Reação dos internautas

Chamou a atenção também a chuva de críticas recebidas nas publicações da Secretaria de Educação anunciando o retorno das aulas nas redes sociais. No Twitter e no Facebook muitas pessoas cobraram o pagamento dos funcionários da educação, que ainda não receberam o 13° salário, além da falta de divulgação das datas de pagamento dos valores referentes ao mês de abril. O conteúdo do vídeo e a falta de acesso a internet por parte dos alunos também foi lembrada.

Twitter

A hashtag #ZemaPagueAEducação pôde ser vista em diversos comentários. Além disso, outra crítica recorrente foi ao tom do anúncio do retorno as aulas. Uma usuária do Twitter chegou a escrever: “Boa definição da secretaria: alegoria inflada. Parece que vive num mundo encantado onde a educação é o paraíso, alunos dedicados, empenhados com futuro brilhante; professores supervalorizados, bom salários. Ela precisa acordar desse sonho e vê o pesadelo da realidade da educação”.

Outro comentário da mesma internauta dizia: “Viu como é bom viver num mundo paralelo, receber em dia, trabalhar em sala confortável e todas as tecnologias funcionando? Dá para sonhar muito né secretaria da educação!!! Já a realidade do professor: sem receber o 13°/19;sem salário;sala superlotadas;sem tecnologias funcionando. Alunos desinteressados e sem acesso as tecnologias; desmotivados; desprezados…nossa…que visão tão antagônica da educação de Minas!!! O sonho…e a dura realidade. Governador está em suas mãos inverter isso com urgência: valorize e atualize todos os pagamentos dos professores”.

O conteúdo do vídeo seguiu recebendo críticas. Em uma delas foi escrito: “Esse um dos vídeos mais cínicos desde o início da quarentena. Um verdadeiro desprezo da realidade dos estudantes e professores”. Você pode acessar a publicação e ver o vídeo abaixo:

Facebook

No Facebook os comentários forma divididos entre elogios e críticas ao lançamento do programa de retorno as aulas. Um usuário da rede lembrou dos alunos que não tem acesso à internet: “Muito legal, mas e pra quem não tem acesso a ferramentas digitais??A realidade é que muitos alunos em dias normais mal tem o que comer em casa, imagina como estão em meio a tudo isso. Não tentem se igualar a escolas particulares com aulas EAD, a realidade dos alunos da rede pública é outra”, escreveu.

Outra internauta lembrou dos problemas enfrentados nas matrículas online, no início de 2020: “Mais uma possível lambança? Se a matrícula não funcionou, imagine App é internet”, disse.

Veja também: Aulas da rede estadual voltam na segunda (18), via internet

Comentários Facebook

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. aceitar LER MAIS