EducaçãoEnemNotíciasSiSU

SiSU abre inscrições hoje com recorde de vagas para 2019/2

As inscrição se encerram às 23:59 do dia 7 de junho

Abriram hoje (04) as inscrições do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) para o 2º semestre desse ano. Os cadastros podem ser feitos até a sexta-feira (07).

Somente quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e tirou nota superior a zero na redação poderá participar.

Como fazer a inscrição no SiSU

1 – Acessar o site do SiSU efetuando o login com o número de inscrição e senha do Enem 2018.

2 – Após o login, o site abre uma página para confirmar seus dados. Confira as informações. Se tiver algum dado errado, altere e confirme. Certifique que o e-mail cadastrado está correto.

3- Pesquise o curso por cidade e instituição de ensino. Você também pode conferir a quantidade de vagas para ampla concorrência e sistema de cotas.

4- Veja em qual modalidade de concorrência (ampla concorrência ou cota) você se enquadra e a selecione. A maioria das instituições possui o sistema de cotas.

5- Cada modalidade de concorrência possui uma lista de documentos específicos solicitados para a matrícula. Confira esses documentos e tenha todos até o dia da matrícula.

6- Para escolher a segunda opção de curso, você deve repetir o procedimento. É possível alterar os cursos até o último dia de inscrição. Será válida a última opção confirmada.

7- Depois que a inscrição tiver confirmada, você pode acompanhar as notas de corte a partir do segundo dia do período de inscrições.

Nota de corte

Uma vez por dia, durante o período de inscrição, o SiSU calcula qual é a menor nota matriculada no curso. Essa menor nota, é a nota mínima que o candidato precisa ter tirado no Enem para ficar entre os potencialmente selecionados.

A nota de corte é baseada no número de vagas disponíveis em cada curso e o total de candidatos inscritos, por modalidade de concorrência. Ou seja, cada modalidade possui uma nota de corte diferente.

O MEC explica que o cálculo da nota de corte é usado apenas como uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento de sua inscrição, mas isso não garante que no final ele será selecionado para a vaga.

Cronograma do SiSU

Inscrições: 04 a 07 de junho
Resultado: 10 de junho
Matrículas: 12 a 17 de junho
Manifestação da lista de espera: 11 a 17 de junho

Após o resultado no dia 10 de junho, as matrículas deverão ser efetuadas do dia 12 ao dia 17 de junho. Para se matricular, o aprovado deve verificar na instituição de ensino em que fora selecionado, qual o local, o horário, documentos e procedimento para a matrícula.

Lista de espera do SiSU

Quem não for selecionado na primeira chamada em nenhuma das duas opções de curso, tem dos dia 11 a 17 de junho para demonstrar interesse na lista de espera para a primeira ou segunda opção de curso.

Nesta etapa, as chamadas serão feitas diretamente pelas instituições, em seus próprios sites, a partir do dia 19 de junho. O candidato deve esperar os resultados serem divulgados diretamente pelas instituições.

Sobre as vagas

Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC) na última segunda (3), são ofertadas 59 mil vagas em instituições públicas de ensino superior, distribuídas em 1.731 cursos de 76 instituições em todo o país.

Ainda de acordo com o MEC, é o maior número de vagas para esse período, sendo é 3,8% maior que o mesmo período do ano passado, que ofertou 57 mil vagas.

Veja o gráfico de vagas da última década:

Crédito da imagem: Brasil Escola/Divulgação/MEC

O número de instituições que participam também é superior nesta edição, o aumento foi de 11,8%, indo de 68 para 76.

Confira o aumento das instituições nos últimos 10 anos:

Crédito da imagem: Divulgação/MEC

São oferecidas vagas por instituições federais, estaduais e municipais. Veja a distribuição no SiSU 2019/2:

Universidades Federais: 40.658 vagas
Institutos Federais: 11.715 vagas
Universidades Estaduais: 6.643 vagas
Faculdades Municipais: 12 vagas

Cortes de verbas nas federais

O governo comunicou o corte de 30% dos recursos discricionários (sem contar salário, por exemplo), nas instituições federais. Tal porcentagem representa  R$ 2 bilhões a menos no orçamento deste ano.

Segundo o secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima, a pasta não mostrou, até agora, impacto na seleção de novos alunos nas universidades e institutos federais. A pasta tem conversando com as instituições para garantir essa oferta de vagas no segundo semestre.

“As universidades têm autonomia completa, eles que planejam. A gente não teve nenhuma informação de que alguma instituição foi prejudicada, pelo contrário. São os melhores números do SiSU, não vemos impacto por enquanto”, disse o secretário. E completa “A gente acha que pode ser ofertado até mais, considerando o período noturno, e estamos conversando com as instituições”, afirmou.

Facebook Comments

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios