The Good Place: a série que pode te fazer conhecer o paraíso

Depois da sugestão de Sons of Anarchy, uma drama denso, pesado e cheio e ação, e do game Football Manager, hoje trarei uma recomendação totalmente diferente das anteriores: a série The Good Place. Trazendo um formato leve e engraçado, com episódios curtos de pouco mais de 20 minutos, a produção já ganhou uma legião de fãs por todo o mundo.

A história de The Good Place se passa num cenário de vida após a morte e tem como personagem principal Eleanor Shellstrop, uma mulher que não foi lá das melhores pessoas enquanto vivia. Quando morre, após um acidente bizarro, Eleanor chega no Good Place, ou simplesmente Lugar Bom. Este é o céu, o paraíso, retratado na série. Um lugar de paz, alegria e sonhos realizados.

Mas o problema é que no Lugar Bom só existem pessoas muito boas. Filantropos, educadores, médicos e humanitários. Um perfil muito diferente do de Eleanor, que como dito anteriormente, em vida era do tipo de pessoa que abandonava o cãozinho da amiga que tinha jurado cuidar para tentar ir a um show da diva pop Rihanna. Ou seja, havia aí um grande engano.

E esse engano começa a tirar as coisas do Lugar Bom dos eixos. Criando uma bagunça nas vidas, ou pós-vidas, de Michael, arquiteto responsável por aquela “vizinhança”, que é como é chamado o quadrante do lugar bom, Chidi Anagonye, personagem reto, ético e íntegro, que é a suposta alma gêmea de Eleanor, e do casal de vizinhos Tahani Al-Jamil e Jianyu Li.

The Good Place: a série que pode te fazer conhecer o paraíso
Não deixe esse rostinho te enganar, Eleanor é, ou foi, um ser humano horrível – Crédito da imagem: The Good Place/Divulgação

O que cativa em The Good Place

Além do humor leve e inteligente, com situações que extrapolam o absurdo, The Good Place cativa pelo carisma de todos os personagens e principalmente pelos plot twists, que são mudanças radicais na direção esperada ou prevista da narrativa, mas não posso falar mais, para evitar spoilers.

The Good Place é uma série da produtora Fremulon, que também assina outras séries de sucesso, como Parks and Recreation e Brooklyn Nine-Nine. E para quem gosta da última citada, vai aí mais alguns motivos para se dar chances para Eleanor e sua turma: os formatos e tipo de humor são bem semelhantes, apesar de histórias que não tenham simplesmente nada a ver uma com a outra, e alguns dos personagens de “B99” fazem parte do elenco de The Good Place, o que dá uma sensação de pertencimento ainda maior.

A série é uma produção original da plataforma de streaming Netflix e suas quatro temporadas, que variam entre 12 e 13 episódios, estão inteiramente disponíveis no site. E para quem não gosta de esperar lançamentos, The Good Place foi encerrada após sua quarta temporada, portanto é uma história fechada. Vale maratonar.

Veja também: “The End Of The F***ing World”: a queridinha da Netflix voltou com tudo para a 2ª temporada

Comentários