DestaqueEducaçãoOuro PretoPatrimônio

UFOP pode oferecer mestrado em Turismo e Patrimônio

O projeto de mestrado acadêmico interdisciplinar em Turismo e Patrimônio é vinculado ao curso de Turismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Este é o primeiro curso de pós-graduação da área em Minas Gerais. No país, são apenas seis mestrados acadêmicos e quatro doutorados, além de três mestrados profissionais.

O curso já foi aprovado pelo Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) da área interdisciplinar da Capes, mas ainda há outra etapa: a aprovação pela Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CES/CNE). O órgão vai deliberar sobre a autorização e o reconhecimento do curso. Somente após a homologação do resultado pelo ministro da Educação é que o curso poderá se iniciar com a implantação do colegiado.

A coordenadora do programa, Maria do Carmo Pires, professora do Departamento de Turismo, destaca a relação da UFOP com o tema do mestrado, já que a Universidade está inserida em uma região reconhecidamente importante por seu patrimônio cultural e natural. “Essa proposta de criação de um programa de pós-graduação em Turismo e Patrimônio, o primeiro da área interdisciplinar na UFOP, parte do pressuposto da necessidade de se pensar a relação e os usos dos bens culturais que constituem nosso patrimônio pelo Turismo como uma alternativa para as cidades mineiras consideradas ‘históricas'”.

O novo curso tem como objetivo formar pessoal qualificado para o exercício profissional e de atividades de ensino, pesquisa e extensão no campo interdisciplinar, focando na relação entre turismo e patrimônio e suas condições de sustentabilidade. Pretende tornar esses profissionais aptos a desenvolver pesquisas voltadas para o conhecimento e valorização do patrimônio da região e de sua importância para o turismo, além de capacitar os discentes, possibilitando-os desenvolver as habilidades necessárias para atuar no mercado de trabalho, zelando pela qualidade e pela eficácia na gestão do turismo de forma sustentável, para a preservação do patrimônio.

Com isso, a professora afirma que o mestrado traz para a Região dos Inconfidentes uma contribuição para a diversificação da economia local. “Apesar do grande potencial e da existência de programas voltados para o desenvolvimento regional por meio do turismo, as cidades mineiras ainda não conseguem se desvencilhar da dependência econômica vinculada aos setores da mineração”, afirma.

Inicialmente o curso vai contar com 14 professores de diferentes departamentos: Turismo, Museologia, Direito e Educação e Tecnologia, do Centro de Educação Aberta e à Distância (Cead). Serão ofertadas vinte vagas anuais.

Comentários do Facebook
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar