AtléticoBelo HorizonteCopa Sul-AmericanaEsporteFutebol

Vina: dono do confronto que eliminou o mau retrospecto contra Botafogo

O volante Jair também se destacou; já o ataque deixa a desejar

O Atlético está classificado para as quartas de final da Copa Sul-Americana, após vencer o Botafogo por 2 a 0 na noite de ontem (31) no estádio Independência. Com gols de Fábio Santos, de pênalti, e Vinícius Goes, ou Vina, o Galo jogou a zica para longe e eliminou o time carioca após 25 anos.

O meia Vina parece estar cada vez mais entrando no gosto da torcida atleticana, pois marcou contra o Botafogo no jogo de ida na semana passada e ontem mais uma vez. Além disso, o jogador tem sido decisivo em partidas do Campeonato Brasileiro, como na virada contra a Chapecoense, em que marcou um gol aos 54 minutos do segundo tempo.

Com a ausência de Cazares, afastado por conjuntivite, o irreverente Vina vem conquistando espaço no time, mostrando ser um jogador para ficar na cola do equatoriano. Além dos gols decisivos, Vinícius também tem a sua marca, a dancinha com o lateral-direto Guga ao final de todo gol marcado.

Além de Vinícius, outro jogador vem agradando muito o torcedor atleticano, o volante Jair. Teve uma atuação perfeita na partida de ontem, atuando em todas áreas do campo, marcando e ainda, armando jogadas. Deu dribles desconcertantes, até que um deles gerou um pênalti aos 30 minutos do segundo tempo que foi convertido por Fábio Santos.

  Com time reserva, Atlético perde em casa para o Bahia

O destaque de Jair caiu como uma luva para o treinador Rodrigo Santana, já que recentemente, o volante Adílson, titular no time do Atlético, anunciou a sua aposentadoria precoce por um problema cardíaco. Até então, Zé Welison tinha assumido a vaga, mas suas atuações não foram a altura. Desde o segundo jogo contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil, o meia defensor do time do Galo já tem nome: Jair.

Já o ataque…

O torcedor atleticano comemora bastante a vitória de ontem, mas acabou ficando com uma pulga atrás da orelha. A ineficiência do ataque do Galo preocupa. O Atlético marcou seu primeiro gol somente aos 30 minutos do segundo tempo, mesmo com seu adversário tendo um meia improvisado na zaga. Além disso, Ricardo Oliveira atingiu a marca de 1000 minutos sem balançar as redes.

  Primeira impressão!

As jogadas que passavam pelas laterais do campo não foram efetivas. Otero e Chará não consseguiram encaixar uma triangulação no meio de campo, deram chutes sem perigo e, também, não realizaram jogadas na linha de fundo. Mesmo com Elias tendo maior função ofensiva, o Atlético chegava sem presença na área botafoguense, tendo poucas opções de passe perto do gol adversário.

Novidade

O atacante Franco Di Santo, atualmente sem contrato, acompanhou a partida de ontem contra o Botafogo no estádio Independência. A expectativa é de que o jogador assine contrato nos próximos dias, após exames médicos sendo realizados em Belo Horizonte. O atacante já teve passagens pelo Chelsea, Werder Bremen, Shalke 04, e seu último clube foi o Rayo Vallecano.

  Empresas de ônibus lançam aplicativo para recarga em Belo Horizonte
Vina: dono do confronto que eliminou o mau retrospecto contra Botafogo
Crédito da foto: Reproduçã/Instagram

Premiação

Com a classificação do Atlético para as quartas de final da Copa Sul-Americana, o time mineiro garantiu R$ 2,2 milhões (600 mil dólares). O Galo já garantiu R$ 5,65 milhões da Copa do Brasil, R$ 15,2 milhões vindo da Libertadores e R$ 3,3 milhões da Copa Sul-Americana até agora. Caso o título da segunda maior competição continental da América venha para Belo Horizonte, o prêmio será de R$ 15 milhões.

Fechar