‘Vogue’, um dos maiores sucessos de Madonna, completa 30 anos

“Olhe ao redor, para todo o lugar que você se vira, há mágoa. Está em todo lugar que você vá (Olhe ao seu redor). Você tenta tudo o que pode para escapar da dor da vida que você já conhece…”. A dança inspirada nas poses das modelos completa três décadas. Tornou-se uma obrigação mundial graças à rainha da música pop que, em 20 de março de 1990, fez dela a protagonista do primeiro single extraído de “I’m Breathless”.

Muito mais que uma dança, é algo que vai além de um estilo de vida, talvez semelhante a uma declaração de intenções resumida naquele “faça uma pose” (“Strike a pose”) na qual a voz de uma comunidade ressoa.

Pop, underground e marginalizada, “Vogue” é um sucesso há trinta anos, uma das músicas mais conhecidas e bem sucedidas de Madonna, mas que, por trás de seus movimentos icônicos, esconde uma história cheia de ramificações e entrelaçamentos.

Escrita por Madonna e Shep Pettbone, a música foi lançada em 1990 e, de lá para cá, coleciona feitos históricos, como a clássica e inesquecível performance de Madonna no Video Music Awards (VMA), premiação musical da MTV americana, de 1990, onde a cantora e apresentou cantando o mais recente lançamento com figurinos inspirados na França do Século XVIII.

A MTV classificou o clipe da música na segunda posição de uma lista que contém os “100 maiores vídeos de música já feitos”. Por outro lado, a revista Rolling Stone listou o vídeo como o vigésimo oitavo melhor videoclipe de todos os tempos. Em 2019, “Vogue” se tornou o quarto videoclipe de Madonna a atingir mais de 100 milhões de visualizações no YouTube.

A música também já foi regravada por diversos artistas, como a Kylie Minogue, considerada a Madonna australiana. A música também está na trilha sonora do filme “O Diabo Veste Prada” (“The Devil Wears Prada”), lançado em 2006.

Muito mais que uma simples música, muito além do clássico hit da discoteca. “Vogue” é um fenômeno musical real que, mesmo tendo passado trinta anos do seu lançamento, ainda não viu a extensão de seu impacto na música pop enfraquecer e não perdeu a sua essência e a sua qualidade.

Leia também: Conheça Cecilia Krull, a intérprete do tema de abertura de ‘La Casa de Papel’

Comentários