Após morte em BH, empresa de patinetes estuda redutor de velocidade

Por

Após o engenheiro eletrônico Roberto Pinto Batista Júnior, de 43 anos, cair de um patinete elétrico e morrer após bater a cabeça em um bloco de concreto na ciclovia em Belo Horizonte, no último sábado (7), a empresa responsável estuda reduzir o limite de velocidade do equipamento.

Nesta segunda-feira (9), a BHTrans realizou uma reunião com a empresa Grow, responsável pelo aluguel dos patinetes da Grin e da Yellow. Em nota, o presidente da BHTrans, Celio Bouzada, disse que a reunião foi feita “para exigir um comprometimento da empresa com a cidade em três pontos principais: Informação, treinamento e segurança.”

Por isso, foi proposto que a empresa crie mecanismos que aumentem a segurança dos usuários. Além da redução do limite de velocidade, também a contratação de um seguro de responsabilidade civil. Também deverão criar uma campanha de divulgação sobre medidas de segurança. A empresa se comprometeu a cumprir as propostas feitas pela Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans).

Roberto Pinto Batista Junior, o engenheiro eletrônico que morreu ao cair de patinete em BH – Crédito da foto: Reprodução/Redes Sociais

Veja a nota da BHTrans na íntegra:

“Em reunião nessa tarde com diretores e o presidente da Grow, empresa responsável pela operação dos patinetes elétricos da Grin e da Yellow em Belo Horizonte, o presidente da BHTrans, Celio Bouzada, exigiu um comprometimento da empresa com a cidade em três pontos principais: Informação, treinamento e segurança. A BHTrans solicitou uma redução da velocidade do equipamento para as primeiras viagens de usuários novatos. A Grow concordou e vai fazer uma avaliação técnica dessa solicitação e também irá desenvolver um extenso programa de treinamento para os usuários de patinetes na capital, combinado com uma campanha de divulgação de informação. A Grow ainda se comprometeu a contratar um seguro de responsabilidade Civil em favor dos usuários. A BHTrans esclarece que o uso dos patinetes é regulamentado pela resolução do CONTRAN, 465/2013. A Empresa criou um grupo de trabalho que está elaborando uma regulamentação complementar que dispõe, principalmente, sobre as regras de circulação.”

Nota da empresa de patinetes

A empresa informou que já existe um seguro para incidentes com o equipamentos e que está intensificando campanhas de conscientização para o uso correto dos patinetes. A campanha vem sendo feita pelo aplicativo, pelas redes socais e nas ruas.

Os equipamentos atuais possuem velocímetro, buzina, lanternas frontais e dois freios (mecânico e motor), que já permitem a redução da velocidade de forma mais suave. Mas, informou que para usuários iniciantes, já há um estudo para avaliar a redução da velocidade máxima nas primeiras viagens.

Tags : , , , , ,

Postado em 11 de setembro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.