Carros elétricos da Mercedes-Benz poderão percorrer mais de 750 quilômetros com uma única carga

por Rodolpho Bohrer

A Mercedes-Benz lançou novos veículos-conceito que estão prestes a entrar em produção e têm a capacidade de superar os carros da Tesla em autonomia de bateria. Esses modelos fazem parte da linha Concept CLA Class e incluem sedãs, peruas e SUVs. Cada um deles poderá percorrer mais de 750 quilômetros com uma única carga, em contraste com os modelos Tesla, que têm um alcance máximo de cerca de 375 milhas.

Carros elétricos da Mercedes-Benz poderão percorrer mais de 750 quilômetros com uma única carga
O novo veículo Concept CLA Class da Mercedes apresentado no salão do automóvel de Munique no fim de semana - Foto: Mercedes-Benz AG

A BMW também impressionou no Salão do Automóvel de Munique ao revelar um novo veículo elétrico com maior autonomia e tempos de carregamento mais rápidos. Isso reflete os esforços das montadoras alemãs para enfrentar a crescente concorrência no mercado de veículos elétricos.

+ Os 30 carros mais vendidos no mundo no ano de 2022

A Mercedes pretende criar um “segmento totalmente elétrico totalmente novo de veículos básicos da Mercedes-Benz” com o Concept CLA Class, buscando atrair um público mais amplo. Essa maior autonomia pode ajudar a dissipar a preocupação que muitos consumidores têm ao considerar a compra de um veículo elétrico.

Além disso, a empresa indicou que está desenvolvendo um novo veículo elétrico baseado na classe G da Mercedes, possivelmente um SUV compacto, que pode se tornar um concorrente para o Modelo Y da Tesla.

Os analistas do UBS tiveram acesso antecipado aos novos modelos da Mercedes e expressaram confiança no pipeline de produtos da empresa para os próximos anos. A Mercedes também demonstrou confiança de que os novos veículos elétricos serão igualmente rentáveis aos modelos movidos a combustível.

Esses avanços destacam o compromisso contínuo das montadoras alemãs com o mercado de veículos elétricos e a crescente competição com empresas como a Tesla.

Fonte: CNN

ARTIGOS RELACIONADOS