27.9 C
Belo Horizonte
domingo, 29 janeiro 2023

Prós e contras do seguro de carroÂ

O seguro de carro denominado Compreensivo é o mais popular entre os brasileiros. Sua cobertura cobre gastos decorrentes de colisão, incêndio, roubo, danos materiais, danos corporais (incluído a terceiros), roubo e furto e oferece assistência 24 horas.Â

Os imprevistos ou mesmo acidentes de trânsito não tem dia nem hora marcados para acontecerem. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa a quarta colocação do ranking de países com maior número de mortes em acidente de trânsito. Dessa forma, pensar em seguro é indispensável.

Quem pensa em contratar um seguro auto deve considerar a franquia um dos principais fatores. Pois ela definirá, caso ocorra algum dano no veículo, qual percentual de custo a empresa vai cobrir e qual saldo ficará para o segurado. Ela corresponde a participação do segurado no prejuízo.

As empresas que atuam nesse segmento resolveram criar esta franquia com o objetivo de evitar que o próprio segurado danifique o seu veículo, propositalmente, para se beneficiar do ressarcimento.

Cada seguradora estipula os seus valores de franquia. Elas devem ser vistas e revistas na contratação do plano, para que o contratante não seja surpreendido caso ocorra algum sinistro.Â

Vale ressaltar que a empresa precisa cumprir as cláusulas contratuais independente do valor pré-estabelecido. Por exemplo, no caso de colisão, se uma pessoa tem um carro que custa R$ 20 mil, o valor da franquia é de R$ 1.300,0. Se ela sofreu um acidente que gerou um gasto de R$ 15 mil, o segurado deve pagar os R$ 1.300 e a seguradora cobrir todo o restante do valor.

Com uma ressalva. Não existe pagamento de franquia para perda total, roubo ou furto. Quando algum desses sinistros acontecem, o segurado não deve arcar com nenhum gasto, sendo a seguradora a única responsável em custear os gastos gerados pelo ocorrido.Â

A questão da assistência 24 horas também deve ficar bem clara para quem está contratando um seguro de carro, pois ela varia de empresa para empresa e pode alterar o valor do seguro.

Enquanto algumas seguradoras oferecem a assistência limitada para o raio de 200 quilômetros de distância da residência do contratado, outras atuam com guincho ilimitados, ou seja, o carro é rebocado independente do local onde estiver.

Interessante também é ser atendido por um corretor que tenha a paciência de explicar tudo nos mínimos detalhes. Preço é importante, porém, ter conhecimento do que se está contratando nos mínimos detalhes pode salvar o segurado na hora do aperto. Tem planos que cobrem a quebra dos vidros do carro, outros não.Â

A parte dos danos materiais também não podem ser esquecidos. Os danos materiais são aqueles que o segurado causa no veículo de alguém. Para este tipo de cobertura também não há franquia a ser paga, entretanto, na hora de contratar o seguro, o contratante precisa estipular um valor fixo para o caso de futuramente precisar custear danos feitos por ele mesmo no veículo de outras pessoas.Â

Quanto maior for este valor, mais caro fica o valor do seguro. Supondo que um segurado escolheu uma cobertura para danos materiais de R$ 50 mil, porém, ele bateu em uma BMW que custa R$ 200 mil e deu perda total nela, por exemplo. O seguro vai cobrir apenas os R$ 50 mil acertado no contrato. O restante, os R$ 150 mil, vai fica por conta do segurado, que neste caso não está bem segurado, não é mesmo?

O mesmo é aplicado aos danos corporais, que pode ocorrer caso o segurado atropele uma pessoa ou cause algum dano à integridade física de alguém com o veículo. Imaginemos que um segurado atropelou e matou uma pessoa. Além de precisar lidar com a lei, ele precisa indenizar a família, se contratada uma cobertura de R$ 50 mil, é preciso se questionar, isso vale uma vida? É claro que nenhum valor específico é capaz de pagar uma vida, porém ,quanto menor for o impacto da perda para os familiares, melhor para a consciência do segurado. Inclusive, isso pode até contar como ponto em um processo jurídico. Ninguém sabe do dia de amanhã.Â

Então, recapitulando, este é o combo mais contratado no Brasil:

  • Colisão Incêndio
  • Roubo ou furto
  • Assistência 24 horas
  • Danos materiais e imateriais (a terceiros)

Benefícios e malefícios de contratar um seguro de carro

Benefícios

Além da cobertura para colisão, incêndio, roubo ou furto, assistência técnica 24 horas e danos a terceiros, ter um seguro é positivo pelos fatores abaixo.

Segurança – como o próprio nome do serviço contratado diz, o seguro entrega segurança para as situações mais inesperadas. Só quem já quebrou um carro no meio da estrada sozinho ou bateu sabe o quanto é penoso passar por isso sem suporte algum

Ressarcimento – uma pessoa segurada pode receber um carro novo em caso de perda total, roubo ou furto

Saúde mental – saúde mental também tem a ver com segurança em todos os aspectos. Quando se adquire um veículo, costuma-se dizer no Brasil que junto com ele se conquistou também uma “outra família”. Quanto mais bens adquirir, maior é a responsabilidade. Dividir essa demanda com profissionais da área pode diminuir a carga mental que consequentemente terá menos preocupação e estresse

Malefícios

Contratar uma apólice existem algumas questões que podem não ser tão positivas assim. Saiba quais são.

Compromisso anual – tendo em vista que um seguro de carro é pago anualmente podendo ter valores entre R$ 1.300 até R$ 10 mil, tudo depende da marca, modelo, seguradora e serviços adicionais contratados, contratar um seguro se torna um compromisso anual, mesmo que no contrato não esteja prevista nenhuma fidelidade. Se você deixar de pagar um seguro, automaticamente deixará de estar assegurado e se beneficiar em casos fortuitos

Corretores despreparados – contratar um seguro com um corretor despreparado ou mesmo mau intencionado pode gerar consequências graves em um momento conturbado como acidente ou qualquer outro. Pois o segurado pode pensar que tem direito a uma cobertura que só vai descobrir que não tem da pior maneira, quando precisar de fato

Coberturas adicionais

As coberturas adicionais de seguro de veículo são aquelas que não estão previstas em nenhum dos exemplos acima. Por exemplo, o carro colidiu e quebrou os quatro vidros, a seguradora vai custear todos os reparos do caso, porém os vidros não estão incluídos. Então, por opção, o segurado pode pagar um adicional para ter também essa cobertura.

Veja alguns exemplos de coberturas adicionais:

  • Vidro
  • Faróis
  • Lanternas
  • Para-choque
  • Elétricos

Atenção

Antes de tirar o carro novo da concessionária, é importante sair de lá já estando assegurado, pois pode correr o risco de a seguradora não compreender mais como novo, pois mesmo que sua residência esteja próxima do local onde você comprou, ele já não será considerado mais um carro novo, e pode entrar na categoria de carro usado.

Sem contar que não vai precisar passar pela vistoria, o que não ocorre com os carros usados, que são obrigados a serem levados para o pátio, para serem avaliados.

Condutor

Colocar o nome exato de quem será o condutor do veículo no contrato é de suma importância. Pois o seguro só vai cobrir os gastos que surgirem quando forem com o mesmo condutor apontado na hora da contratação

O que é necessário para fazer uma simulação?

Para simular um seguro é preciso mais do que saber somente a marca, modelo e ano de um veículo. Quem está em busca de informações sobre valores de apólices deve informar ao corretos ou em algum site (verificar a procedência do site antes de informar dados pessoais) as seguintes informações:

  • Nome completo
  • Data de nascimento
  • CPF
  • CEP residencial
  • Estado civil
  • Utilização do veículo (para que ele é destinado)
  • Placa
  • Chassi

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: