CinemaExclusiva

Coringa: polêmicas, crítica e opiniões sobre o filme

O Coringa é o vilão mais famoso e perigoso para o Batman, o maior inimigo do herói de todos os tempos. Nos quadrinhos, o arqui-inimigo do Batman já assassinou o Robin e já deixou a Batgirl de cadeira de rodas, além de ter levado o Homem-Morcego a loucura diversas vezes.

Nos quadrinhos, ele apareceu pela primeira vez na HQ nº1 do Batman, em abril de 1940, sem qualquer tipo de explicação ou história de origem. Criado por Jerry Robinson, Bill Finger e Bob Kane, o personagem foi apresentado apenas como um vilão e até hoje a DC Comics não oficializou qualquer história sobre o seu passado desconhecido e a identidade do homem por trás do sorriso de palhaço. No entanto, no filme do Coringa lançado dia 3 de outubro, existe um passado.

Fique tranquilo; não há nenhum spoiler ou informação neste texto que possa comprometer sua experiência caso ainda não tenha visto o filme!

Versões do Coringa

No cinema, existem muitas versões do Coringa. Do caricato vilão de Cesar Romero ao inesquecível personagem de Jack Nicholson. Confira as variantes do vilão:

Sobre o filme solo

O filme solo do Coringa foi um dos lançamentos mais aguardados de 2019. Dirigido por Todd Phillips, responsável pela franquia “Se Beber, Não Case!” e com Joaquin Phoenix no papel principal, o filme mostra um aspirante a humorista que sofre com a deterioração de sua saúde mental quando o hospital em que se tratava fecha as portas. Os cortes de verbas públicas tirarão dele os remédios que controlam seus sintomas e a pouca assistência psicológica que recebe.

Desse modo, ele se torna agressivo e um ícone da anarquia, monstruosamente perigoso. Após perder o emprego, sua revolta se converte em atos de violência que evoluem para que se torne o temido vilão de Gotham City. O longa também é uma tentativa de se compreender a sociedade através de um personagem caótico.

A crítica elogiou a atuação de Phoenix e fez paralelos com Taxi Driver (1976). “É a partir do filme de Scorsese que Philips estrutura seu longa, só que com uma atualização da questão central: se antes o personagem problemático era um homem ferido emocionalmente pela Guerra do Vietnã, agora o debate aprofunda o tema, demonstrando que não é necessário um trauma no front, bastando, aos que já guardam dentro de si certas tendências, anos e anos de desprezo numa sociedade desigual e perversa”.

Coringa também já quebrou alguns recordes de bilheteria. O novo filme da DC é a maior estreia da história do mês de outubro nos Estados Unidos, com US$ 93,5 milhões em bilheteria.

Veja o trailer:

Crítica

O filme no geral é surpreendente, cativante e assustador. O Coringa é um personagem macabro, louco e instável em seu filme solo, encenado de maneira brilhante por Phoenix. A história do Coringa, que até então era desconhecida, foi contada com maestria. Como o longa não é baseado em nenhuma HQ, há inúmeras referencias a outras produções da DC, dos anos 70.

Coringa é um filme que entrega uma experiência diferente do comum. Possui uma ótima fotografia, história e desenvolvimento de personagem. O longa realmente causa impacto, é sinistro. As cenas violentas de Coringa contam com uma grande carga dramática. Além disso, a trama é hipnotizante, o que faz com que muitos a assistam duas vezes. O filme também mostra uma montanha russa emocional do Coringa, com várias emoções surgindo ao mesmo tempo.

A trilha sonora também não peca e define o clima perfeito para o filme na maior parte do tempo. A história é muito boa e tem algumas conexões interessantes com a história do Batman, entretanto, o herói não aparece no filme. Há altas chances do filme quebrar outros recordes e conquistar premiações no próximo Oscar. Vale a pena apreciar o filme nas telonas.

Polêmica e violência

Devido ao teor psicológico agressivo e das cenas violentas do filme, a estreia de Coringa causou polêmicas. A produção foi alvo de muitas críticas por possivelmente incitar atos de violência. O volume de massacres com armas de fogo nos Estados Unidos levantou um caloroso debate nas redes sociais muito antes do lançamento oficial do longa.

Nos EUA, o filme é exibido com segurança reforçada nos cinemas. Polícias de Nova York, Los Angeles e Chicago monitoram salas, com receio de que trama incentive ataques em massa. Segundo O Globo, policiais com capacetes e rifles de assalto se posicionaram do lado de fora de uma exibição de Coringa no Festival de Cinema de Nova York e espectadores tiveram seus pertences vistoriados.

Já no Brasil, segundo informações do G1, uma sessão do filme na sala de cinema do Plaza Shopping de Recife, Pernambuco, acabou sendo abandonada por algumas pessoas assustadas. Isso aconteceu porque um homem que acompanhava a sessão estava exibindo comportamento parecido com o personagem: dando risadas em tom aterrorizante. Logo após o ocorrido o homem foi orientado a fazer silêncio e a sessão continuou normalmente.

Vale lembrar que Coringa só pode ser exibido para maiores de 18 anos, o que justifica o teor das cenas que fazem apologia a violência.

Opinião do público

Nas redes sociais, os fãs que já assistiram ao filme comentaram a produção. O público elogiou muito a atuação de Phoenix, entretanto, citou o teor violento do filme, que chega a assustar.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar