Coronavírus: Bill Gates se torna alvo de fake news após se contrapor a Trump

O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, realizou, em 2015, um discurso alertando que o maior risco para a humanidade não era a guerra nuclear, mas sim um vírus infeccioso que poderia ameaçar a vida de milhões de pessoas.

Esse discurso ressurgiu nas últimas semanas com 25 milhões de novas visualizações no YouTube – mas não da maneira como Gates provavelmente pretendia. Anti-vacinadores, membros do grupo de conspiração QAnon e especialistas de direita estão agora usando o vídeo como evidência de que um dos homens mais ricos do mundo planejava usar uma pandemia para controlar o sistema de saúde global.

Agora, Gates se tornou a estrela de uma explosão de teorias da conspiração sobre o surto de coronavírus. Em vídeos no YouTube e posts “viralizados” no Facebook e Twitter, ele está sendo falsamente acusado de ser o criador da Covid-19, e que teria a criado como parte de um plano covarde de usar a doença para abater ou vigiar a população global.

As alegações ganharam força após a direita norte-americana ver o filantropo emergir como um contrapeso ao presidente Trump sobre o coronavírus. Por semanas, Gates apareceu na TV e em outras mídias clamando por políticas de isolamento social, testes expandidos e desenvolvimento de vacinas. E sem nomear Trump, ele criticou as políticas do presidente, incluindo a decisão desta semana de cortar fundos para a Organização Mundial da Saúde .

A desinformação sobre o bilionário é agora a mais difundida de todas as Fake News sobre o novo coronavírus rastreadas pela Zignal Labs, uma empresa de análise de mídia. A desinformação inclui mais de 16 mil postagens no Facebook só em 2020. No YouTube, os dez vídeos mais populares que espalham mentiras sobre Gates postados em março e abril já foram vistos quase cinco milhões de vezes.

Mark Suzman, executivo-chefe da Fundação Bill & Melinda Gates, o principal veículo filantrópico de Gates, diz que é “lamentável que haja pessoas divulgando informações erradas quando todos nós deveríamos procurar maneiras de colaborar e salvar vidas“.

As difundidas teorias da conspiração sobre co-fundados da Microsoft podem prejudicar particularmente o que as pessoas pensam sobre uma futura vacina contra o coronavírus, disse Claire Wardle, diretora executiva da First Draft, uma organização que combate a desinformação online. Ela ainda afirma que as narrativas “têm o potencial de lançar campanhas on-line coordenadas e sofisticadas que impedem as pessoas de tomar uma vacina contra o vírus”.

Comentários