O que você procura?

Congonhas: 5.900 pessoas não voltaram para receber a 2ª e 3ª doses da vacina contra Covid-19

A administração municipal ressaltou que a imunização só é efetiva se o cidadão receber as duas doses do imunizante mais a dose de reforço.
Rômulo Soares 14 de dezembro de 2021 às 15:13
Tempo de leitura
4 min
Foto: Biblioteca de Imagens do Canva
Foto: Biblioteca de Imagens do Canva

A Central de Imunização da Prefeitura de Congonhas alerta a população congonhense que 5.900 pessoas estão atrasadas com a segunda e terceira dose da vacina contra a Covid-19. A administração municipal ressaltou que a imunização só é efetiva se o cidadão receber as duas doses do imunizante mais a dose de reforço.

Dessas 5.900 pessoas, cerca de 4.500 pessoas estão atrasadas ou completando o prazo para receber a segunda dose ou o reforço da Pfizer. Outras 900 pessoas ainda não voltaram para receber a segunda dose da vacina da Astrazeneca e 500 congonhenses não retornaram aos postos de saúde para receber a segunda dose da Coronavac.


O maior grupo que falta receber a segunda dose são as pessoas de 18 a 39 anos, que somam 2 mil pessoas, representando mais de 30% das pessoas que estão atrasadas com a vacinação.

Confira quando deve-se receber a segunda dose de cada imunizante:

  • CORONAVAC: 21 dias após a 1ª dose
  • PFIZER: 21 dias após a 1ª dose
  • ASTRAZENECA: 2 meses após a 1ª dose
  • JANSSEN: 2 a 6 meses após a 1ª dose (Município está aguardando novo lote de Janssen)

A dose de reforço para qualquer um dos imunizantes, deve ser tomada cinco meses após a segunda dose. Para a dose de reforço pode receber quem:

  • Tem mais de 18 anos e recebeu a 2ª dose há mais de 5 meses, independentemente do laboratório;
  • Imunossuprimidos que receberam a 2ª doses há mais de 28 dias, independentemente do imunizante.
  • Tem mais de 18 anos e recebeu a 2ª dose há mais de 5 meses, independentemente do laboratório;
  • Imunossuprimidos que receberam a 2ª doses há mais de 28 dias, independentemente do imunizante.

A Prefeitura de Congonhas alertou que quem não completa o esquema vacinal fica mais vulnerável à infecção pelo coronavírus e, além de se expor ao risco de ser contaminado e adoecer, esse indivíduo não ajuda a controlar a circulação do vírus. Além disso, a vacinação incompleta pode criar um ambiente propício para o surgimento de mutações ainda mais resistentes do coronavírus. Mesmo fora do prazo, é fundamental concluir o esquema vacinal. Especialmente neste momento em que muitas pessoas se reunirão nas festas de final de ano em família. Confira o seu cartão de vacina, procure a UBS mais próxima e agende o quanto antes a sua vacinação.

Unidades Básicas de Saúde:

  • Alto Maranhão – 3733-2158
  • Alvorada – 3731-1746
  • Basílica – 3731-7960
  • Campinho – 3732-2257
  • Centro I – 3732-1376
  • Centro II – 3731-5750
  • Cinquentenário – 3731-2371
  • Dom Oscar I e II – 3732-1946
  • Ideal – 3731-4365
  • Jardim Profeta I e II – 3732-1945
  • Jardim Vila Andreza – 3731-4365
  • Joaquim Murtinho – 3733-1483
  • Lamartine – 3731-9310
  • Lobo Leite – 3733-3160
  • Pires – 3733-5074
  • Primavera – 3731-5235
  • Residencial – 3731-2036
  • Santa Mônica – 3731-6577
  • Santa Quitéria – 3733-4041
  • Vila Cardoso – 3733-6030
  • Vila São Vicente – 3731-2860
  • Central de Imunização de Congonhas – 3732-1070 / 3731-6688 (RAMAL 1740)
  • Coordenação de PSF – 3731- 3651

Situação da Covid-19 em Congonhas

O Boletim Epidemiológico mais recente, divulgado pela Prefeitura de Congonhas nessa segunda-feira, 13 de dezembro, não houve nenhuma confirmação de Covid-19 nas últimas 24 horas. Foram confirmados 8.574 casos do novo coronavírus, sendo 8.446 recuperados e 110 óbitos. Não há nenhum leito clínico sendo ocupado, mas 20% dos leitos de UTI estão ocupados por pacientes com a doença.

De acordo com o “vacinômetro”, da Secretaria de Estado de Saúde, em Congonhas, 47.930 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, 43.028 a segunda, 1.659 a terceira dose única e 5.672 congonhenses receberam a dose de reforço. Portanto, 88,28% da população está parcialmente imunizada e 82,31% recebeu a imunização completa contra o novo coronavírus.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.