BrumadinhoMineraçãoNotíciasRompimento de barragem em Brumadinho

CPI de Brumadinho ouve especialistas que anteciparam risco de rompimento da barragem

A CPI sobre o Rompimento da Barragem de Brumadinho (MG) realiza audiência pública nesta terça-feira (14). Irão depor o chefe do setor de fiscalização de barragens da Agência Nacional de Mineração em Minas Gerais, Wagner Araújo; o engenheiro de recursos hídricos da Vale, Felipe Figueiredo Rocha; e a engenheira civil e consultora da Potamos Engenharia e Hidrologia, Maria Regina Moretti.

O deputado Rogério Correia (PT-MG), relator da CPI, lembra que Wagner Araújo poderá trazer informações sobre o processo de fiscalização da barragem Córrego do Feijão. Já Felipe Figueiredo Rocha é engenheiro e atua na área de recursos hídricos da Vale e, conforme noticiado pelo jornal Folha de S. Paulo de 23 de abril, teria dito que a diretoria da Vale tinha conhecimento dos riscos de rompimento da barragem.

Maria Regina Moretti, por sua vez, é engenheira civil e atua como consultora da empresa Potamos, contratada pela Vale para fazer o cálculo do fator de segurança da barragem Córrego do Feijão. Segundo depoimento na CPI da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, ela foi questionada pela empresa sobre a base do cálculo que atestou o fator de segurança como sendo 1,09. Ou seja, abaixo do mínimo de 1,3, recomendados pelos padrões internacionais para que a barragem possa ser considerada segura.

Hora e local
A audiência será às 14h30, no plenário 14.

Via
Agência Câmara de Notícias
Fechar