Take a fresh look at your lifestyle.

Cruzeiro finaliza temporada de 2018 com dois títulos conquistados e esperança de voos mais altos em 2019

O Cruzeiro finalizou a temporada de 2018 do clube, no último domingo (02), num empate sem gols com o Bahia, fora de casa, pela última rodada do Brasileirão. O ano, que se encaminha para seu fim, foi de conquistas para o Cruzeiro e ficou marcado pela sintonia entre time e torcida.

Campeão mineiro, em cima do rival Atlético-MG, e da Copa do Brasil, sobre o Corinthians, o time celeste ficou pelo caminho na Copa Libertadores da América, grande sonho do torcedor, sendo eliminado nas quartas de final, após partidas de muita polêmica contra o Boca Juniors, da Argentina. Já no Brasileirão, a comissão técnica celeste preferiu poupar os titulares em boa parte dos jogos, priorizando outras competições, terminando o campeonato no oitavo lugar.

A expectativa para o ano de 2019 do Cruzeiro é grande, quando o time volta a emplacar dois anos seguidos indo para a Copa Libertadores, reavivando as esperanças do torcedor em um título que não vem desde 1997. A manutenção do treinador Mano Menezes e de boa parte do vencedor elenco celeste podem fazer a diferença na disputa dos títulos no próximo ano, e, com contratações pontuais e de qualidade, o Maior de Minas iniciará a temporada que está por vir mais uma vez favorita à conquista de títulos.

Mas o ano de 2018 não trouxe somente coisas boas ao Cruzeiro. A temporada que se encerrou também mostrou alguns pontos em que o clube precisa melhorar. O primeiro e mais urgente deles é no controle financeiro e necessidade de equalização das finanças do time. Cheio de dívidas, o time mineiro precisa voltar a se tornar um time com o “nome limpo” e dar um jeito de diminuir a assustadora dívida que o time adquiriu nos últimos anos.

Outro ponto importante para 2019 é o rejuvenescimento do elenco estrelado. A equipe celeste por muitas vezes deixou de ser competitiva em certas competições, como foi no Brasileirão, para focar em outras. O desgastante calendário brasileiro, somado a alta média de idade dos jogadores cruzeirenses impossibilitou que o time chegasse forte em muitas frentes. Mesmo que, pela situação financeira do clube, seja difícil montar um elenco completo, a presença de jogadores jovens pode auxiliar na parte física da equipe, numa temporada repleta de partidas, como é a nossa.

Um maior cuidado com as negociações também tem de ser tomado, principalmente pelo insucesso de boa parte dos jogadores adquiridos nessa temporada. Jogadores que agreguem realmente ao time são primordiais para o sucesso no próximo ano.

Nos próximos textos farei análises sobre a temporada celeste. Desempenho dos atletas, carências e pontos fortes das equipes. Fiquem atentos ao Mais Minas. E que venha 2019!!!

Close