Ultimate magazine theme for WordPress.

Dia do Livro: conheça curiosidades da literatura mineira

Hoje, dia 29 de outubro, é comemorado o Dia Nacional do Livro. Uma data interessante para se aventurar nas histórias e contos literários, que já é uma atividade milenar. Mas, você conhece os principais escritores mineiros? O Mais Minas traz para você um pouco sobre a arte escrita e seus autores nascidos em terras mineiras.

Muitos nomes renomados da literatura nacional e internacional vieram das terras de Minas Gerais. Mais em específico em cidades historicamente conhecidas pela extração do ouro, surgiram nomes como Cláudio Manoel da Costa, Tomás Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto, Fernando Morais, entre outros.

Além disso, a primeira forma de poesia criada no Brasil também foi criada em Minas Gerais, mais específico em Mariana, a primeira capital mineira. Se trata da ‘Aldravia’, um poema minimalista de seis versos, com cada um contendo uma palavra apenas. Esta métrica tipicamente brasileira foi feita por José Benedito Donadon, Gabriel Bicalho, e Andreia Donadon.

“poema
põe-se
poeira
cipó
teia
goteira”

– Mário Donadon Leal

Outra coisa interessante sobre a literatura marianense é a Academia Marianense de Letras, presidida pela, também escritora Hebe Rôla. Lá é desenvolvido uma série de atividades artísticas com a população, além de conter um grande acervo de nomes e retratos dos grandes escritores que passaram pelas cidades de Mariana e Ouro Preto.

Leitura nos dias de hoje

Com a chegada dos meios digitais, o hábito de ler passou por algumas transformações ao longo dos anos, contendo até um dispositivo móvel feito apenas para ler. Para uns, os livros físicos ainda são extremamente necessários, e para outros, são meios antiguados para o tempo moderno.

Para o escritor ouro-pretano Robson Nunes, independente da forma que se lê, o que não pode acontecer é o abandono da leitura. “Este não é um problema. Onde vai ler ou não vai de cada um. Mas um problema que venho identificando nos dias de hoje é a falta de uma cultura literária. Às vezes, as pessoas não tem gosto pela leitura, não gostam de ler livros. Eu tento sempre passar para minha filha, que já chega numa livraria e gosta de escolher um, dois ou três livros, pede para que eu leia com ela e tudo mais. Mas isso não é o geral”, disse.

Acervo de Fernando Morais

Dia do Livro: conheça curiosidades da literatura mineira
Crédito da foto: RAMIRO FURQUIM/SUL21/ARQUIVO

O escritor marianense Fernando Morais, 71 anos, doou seu acervo de fitas, vídeos, fotos, cartas entre outros, para sua cidade natal. Nele contém as vozes de Luís Carlos Prestes, Fidel Castro, Yasser Arafat, Carlos Lacerda, Eric Hobsbawn. As letras de Gabriel García Márquez, Augusto Boal, Otto Lara Resende, Dom Paulo Arns. Imagens raras de Paulo Coelho, Raul Seixas, Assis Chateaubriand, Olga Benário.

“A ideia surgiu porque tenho uma biblioteca numerosa, em torno de 5.000 exemplares, a maioria de não ficção. Eu pretendia doar para algum lugar, mas, quando fui mexer, descobri que, além de livros, sou um guardador de coisas”, conta Fernando Morais.

O material foi levado até ao centro cultural, batizado com seu nome, Casa de Fernando Morais, onde funciona como museu, mas que também tem atividades educacionais como oficinas, palestras e seminários.

Além dos materiais artísticos, alguns artigos históricos da política nacional também são de propriedade do escritor, como a placa original do carro dos pistoleiros da rua Tonelero (na tentativa de assassinato a Carlos Lacerda em 1954), o relógio de ouro que Muamar Kadafi dado à Fernando Morais, uma caixa de charutos de prata portuguesa com uma dedicatória de Fidel Castro e um taco de beisebol com um bilhete escrito por Hugo Chávez.

A Casa de Fernando Morais é feita pela parceria entre Governo do Estado de Minas Gerais, Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), Academia Marianense de Letras e Instituto Fernando Morais.

Comentários do Facebook