O que você procura?


Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item
Story Item

Confira 10 dicas para não cair em golpes na Black Friday

Junto das publicidades que estão sendo feitas pelo comércio, começam a chegar as reclamações de ofertas enganosas, problemas com a entrega de produtos ou preços e golpes.

Rômulo Soares 24 de novembro de 2021 às 18:35
Tempo de leitura
3 min
Foto: Canva
Foto: Canva

O dia das promoções, popularmente conhecido como Black Friday, acontece durante todo o mês de novembro em alguns lugares, mas o seu dia “oficial” é 29 deste mês, ou seja, nesta próxima sexta-feira. Essa é uma ótima oportunidade para quem quer ter um desconto nas compras tão desejadas, porém, o que foi criado para ajudar, pode se transformar numa grande dor de cabeça por queda em fraudes.

De acordo com o Procon Estadual de Minas (Procon-MG), órgão do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), simultaneamente às publicidades que estão sendo feitas pelo comércio, começam a chegar as reclamações de ofertas enganosas, problemas com a entrega de produtos ou preços, além de golpes, outras práticas que caracterizam infrações aos direitos do consumidor e, até mesmo, crimes. 

O coordenador do Procon-MG, promotor de Justiça Glauber Tatagiba, explica que, nesse período de promoções, os principais problemas enfrentados pelos consumidores são decorrentes de descumprimento de oferta. “A publicidade enganosa de preço, que ocorre quando a loja anuncia um valor, mas na hora de pagar, aparece outro é um exemplo”.


Glauber Tatagiba ainda menciona problemas por descumprimento do prazo de entrega, cancelamento da compra feita pelo fornecedor (muitas vezes, alegando esgotamento de estoque), e entrega de produto diferente do que foi adquirido (com relação ao modelo, à quantidade ou à qualidade).  

O promotor alerta ainda que o número de golpes no comércio eletrônico aumentou com a pandemia. “O impulso ocorreu pela mudança de hábito do consumidor, que passou a comprar mais de forma on-line, e pela adaptação dos fornecedores, que incluíram o meio digital como opção para as vendas”, disse. 

Para orientar e auxiliar o consumidor que pensa em aproveitar a temporada de promoções, mas não deseja cair em armadilhas, o Procon-MG preparou uma série de recomendações. Veja:

  • Monitore o preço do produto que deseja adquirir, anote os valores encontrados e as respectivas lojas;
  • Desconfie de preços muito abaixo da média de mercado, isso pode ser sinal de golpe ou de produtos de má qualidade;
  • Atenção para a divergência de preço na hora da seleção do produto e durante o processo de pagamento;
  • Verifique se no preço total do produto consta de forma camuflada algum valor referente à garantia estendida ou seguro, isso é venda casada e é proibido;
  • No caso de parcelamento de preço, verifique se o valor é o mesmo da promoção anunciada, às vezes a promoção só funciona para pagamento à vista;
  • Confira o preço de frete, às vezes, a oferta parece boa, mas com o valor do frete, a compra não compensa
  • Busque informações sobre a reputação do vendedor na internet e em redes sociais ou por meio de amigos e familiares;
  • Entre no site da loja pelo endereço oficial e não através de links que aparecem em redes sociais, aplicativos de mensagem, SMS, WhatsApp, e-mail e etc;
  • Guarde todos os documentos referentes à sua compra e em compras on-line, caso não conheça a reputação do fornecedor, evite fazer depósito direto em contas bancárias, transferências e Pix;
  • Quanto a prazos e como reclamar, o consumidor pode encontrar outras informações no site do Ministério Público de Minas Gerais.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.