Ultimate magazine theme for WordPress.

Edições Câmara e a série ‘Prazer de Ler’

Ler livros é uma das melhores maneiras de se sentir vivo. Podemos nos permitir afundar em um vasto oceano, onde desconectamos nossas mentes do mundo exterior. Mergulhar-se em um livro é algo que nutre a alma e que nos dá maior liberdade e poder.

A leitura é um fenômeno universal, presente em todo o mundo e em todas as culturas. Se você é uma pessoa que gosta de ler um bom livro, certamente você vai gostar da série “Prazer de Ler”, da Edições Câmara.

Para quem não conhece

A Edições Câmara é a editora oficial da Câmara dos Deputados. Ela é responsável, entre outras atividades, pelo planejamento, edição e normalização de diversos tipos de publicações, como coletâneas de legislações, perfis parlamentares, estudos da Consultoria Legislativa e os resultados dos trabalhos das comissões e demais órgãos da Casa. As publicações são produzidas em diversos formatos (impresso, audiobook, e-book) e tratam de temas do interesse do Legislativo ou em debate no país.

Sua missão é publicar livros que contribuam para a promoção da cidadania e o fortalecimento da democracia.

 

Prazer de Ler

A série “Prazer de Ler” foi criada para estimular o hábito da leitura, especialmente entre os jovens. A coleção foi idealizada pela editora da Câmara dos Deputados com o objetivo de democratizar o acesso a clássicos da literatura brasileira e de incentivar o hábito da leitura.

Até o momento, já foram lançadas as obras “Dom Casmurro”, de Machado de Machado de Assis; “Iracema”, de José de Alencar; “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo; “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto; “Úrsula e outras obras”, de Maria Firmina dos Reis; “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida; “Memórias Póstumas de Brás Cubas; e o mais recente: A antologia “A Voz da Esperança”, de Castro Alves.

A partir da próxima semana, sempre às sextas-feiras, faremos publicaremos resenhas sobre cada uma dessas obras, começando por “Triste Fim de Policarpo Quaresma, do grande Lima Barreto.

Comentários do Facebook