Especial Acordo Ortográfico #5: novas regras de acentuação

Infelizmente tudo chega ao fim!. Hoje teremos a quinta e última publicação da série “Especial Acordo Ortográfico”, produzida semanalmente pela equipe do Mais Minas, baseado no e-book criado por meio de seu social media e colunista, João Paulo Silva, que tratará dos temas: divisão silábica e do hífen. Para ver a primeira, a segunda, a terceira e a quarta matéria da série, clique aqui. Se deseja acessar o decreto que promulgou o acordo, basta clicar aqui.

O e-book “Novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa: o que você precisa saber”, completo, estará disponível para download ao final de cada matéria. Os textos foram publicados todas as terças-feiras, às 16h.

Novas regras de acentuação

Para entender sobre acentuação, você precisa entender primeiro o que são palavras oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas. Para isso, você precisa entender também como é feita a divisão de sílabas que explicamos na matéria anterior.

Vamos lá!

OXÍTONAS: vocábulo cuja última sílaba é tônica. Exemplos: ca-fé, ji-ló;

Atenção: as palavras oxítonas terminadas em “i” e “u” não levam acento gráfico, como tu-pi e ta-tu;

PAROXÍTONAS: vocábulo cuja penúltima sílaba é tônica. Exemplos: ru-bri-ca, i-dei-a;

Observação: a maioria das palavras em português são paroxítonas, o que torna difícil identificá-las. Difícil, não impossível.

PROPAROXÍTONAS: vocábulo cujo acento tônico está na antepenúltima sílaba. Exemplos: ex-drú-xu-lo, pé-ro-la;

Especial Acordo Ortográfico #5: novas regras de acentuação
Crédito da arte: Reprodução/Internet

Observação: todas as proparoxítonas são acentuadas. Sabendo disso, se você ver uma palavra, fazer a divisão silábica e perceber que a antepenúltima é a mais forte, acentue sem medo.

No caso das oxítonas e das paroxítonas, a questão é um pouco mais diferente. Veja:

As oxítonas e monossílabos tônicos (fortes) terminados em “a”, “e” e “o”, seguido ou não de “s”, são acentuadas. Exemplos: par-rá, más (de malvada), vê, vo-cês, dó, vo-vô.

Como mencionado anteriormente, as palavras oxítonas terminadas em “i” e “u” não levam acento gráfico, como tu-pi e ta-tu;

No caso das paroxítonas, são acentuadas graficamente apenas as palavras terminadas em -r, -l, -n, -x, -ps, -ã, -ão, -um, -om, -u (seguido ou não de s), -i (seguido ou não de s), -ei.

Os ditongos éi, éu e ói, sempre que tiverem pronúncia aberta em palavras oxítonas (éi e não êi), são acentuados. Veja: fiéis, herói, céus. Já os ditongos abertos ocorridos em palavras paroxítonas NÃO são acentuados. Exemplos: assembleia, Coreia.

A saber: Ditongo são duas vogais juntas na mesma sílaba, ou seja, elas não ficam separadas quando feita a divisão silábica.

Especial Acordo Ortográfico #5: novas regras de acentuação
Crédito da arte: Reprodução/Internet

Em síntese

– Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas (palavras que têm acento tônico na penúltima sílaba). Mas a regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas terminadas em éis, éu, éus, ói, óis. Exemplos: papéis, herói;

– Não se usa mais o acento no i e no u tônicos das palavras paroxítonas quando vierem depois de um ditongo. Exemplo: feiura, sauipe;

Contudo, se a  palavra  for  oxítona  e  o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o  acento permanece.  Exemplo: tuiuiú, Piauí;

– Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo, seguidas ou não de s. Exemplos: leem, voos. Mas permanece o acento diferencial em pôde/pode, uma vez que “pôde” é a forma do passado do verbo poder no pretérito perfeito do indicativo, na 3ª pessoa do singular, e “pode” é a forma do presente do indicativo, na 3ª pessoa do singular;

– Permanece o acento diferencial em pôr (verbo)/por (preposição);

– A palavra “quê” é acentuada nas seguintes situações:

1ª: quando ela é um substantivo (Ela têm um quê de estranho – algo de estranho);

2ª: quando ela é uma interjeição (Quê! Isso é mentira!);

3ª: quando está no final de frase (João falou não sei o quê);

A 3ª pessoa do plural dos verbos crer, dar, ler e ver têm acento, mas, quando usado no plural, é necessário duplicar o “e” e retirar o acento. Exemplo:

– Ele crê / Eles creem;

– Ele dê / Eles deem;

– Ele lê / Eles leem;

– Ele vê / Eles veem.

ATENÇÃO: não confundir com os verbos ter e vir. Permanecem os acentos que diferenciam o singular do plural dos verbos “ter” e “vir”, assim como de seus derivados. Exemplos:

– Ele tem dois carros. / Eles têm dois carros.

– Ele vem de Sorocaba. / Eles vêm de Sorocaba.

Ressaltando: para saber as regras de acentuação, você tem que necessariamente saber identificar qual é a sílaba mais forte e saber classificá-las em oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.

x
Crédito da arte: Reprodução/Internet

Chegamos ao fim da série “Especial Acordo Ortográfico”. Esperamos que as matérias tenham ajudado você, leitor, a se inteirar sobre as novidades na língua portuguesa. Fique ligado no Mais Minas, pois muito mais conteúdo especial está por vir. E para baixar o e-book “Novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa: o que você precisa saber” completo, em formato PDF, basta clicar no título abaixo.

Novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa – o que você precisa saber

Comentários