Estudo prevê ocupação completa dos leitos de Juiz de Fora em duas semanas, devido ao coronavírus

Uma equipe de pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional da Universidade Federal de Juiz de Fora (PGMC/UFJF) realizou um estudo, que foi publicado no último domingo (20), aponta que a cidade pode esgotar todos os leitos de Unidade de Terapia Itensiva (UTI) do Sistema Único de Saúde (SUS) em duas semanas.
De acordo com a pesquisa, com a quantidade atual de leitos de Juiz de Fora, será preciso aumentar em 50% o isolamento social para não saturar o sistema público de saúde da cidade.
A pesquisa fez uma projeção de evolução dos casos do novo coronavírus em três cenários diferentes para os próximos 20 dias: otimista, com aumento de 50% na taxa de isolamento social; pessimista, com relaxamento da reclusão domiciliar; e um terceiro contexto com base no cenário atual, com os parâmetros já existentes de combate à epidemia em Juiz de Fora.
O trabalho foi realizado pelo professor Rodrigo Weber, do Departamento de Ciência da Computação da UFJF, além de Ruy Reis, Bárbara Quintela, Joventino Campos, Johnny Gomes, Bernardo Rocha e Marcelo Lobosco.

Leitos

Com base na progressão da doença no país, estimou-se o aumento de casos, bem como as hospitalizações decorrentes da proliferação do coronavírus em Juiz de Fora. Com isso, a projeção de internações junto com a quantidade de leitos de UTI do SUS na cidade, que correspondem à 37, os pesquisadores concluíram que, com as condições atuais do combate ao coronavírus no município, a ocupação dos leitos hospitalares chegará a 100% até a última semana de abril.
Em um contexto pessimista, no qual prevê o relaxamento de medidas de restrição de circulação, o sistema de saúde pública de Juiz de Fora teria a ocupação total já no próximo domingo (26).
Já na visão mais otimista, em que se prevê a diminuição da circulação de pessoas na cidade, não é esperado a ocupação total das unidades hospitalares de Juiz de Fora durante, pelo o menos, as duas próximas semanas.

Mortes por coronavírus

O estudo também estipulou a quantidade de casos confirmados de coronavírus e mortes pela doença até o dia 1° de maio, em âmbito local, estadual e nacional, com três possíveis cenários da progressão do Covid-19.
Considerando a manutenção do panorama atual da doença, espera-se cerca de 62 mil confirmações no Brasil, sendo 3 mil em Minas Gerais e 294 em Juiz de Fora. Quanto aos óbitos, a projeção é de que cerca de 5 mil pessoas irão morrer em território nacional, 101 em Minas Gerais e 16 em Juiz de Fora até o primeiro dia do mês de maio.
Já no cenário pessimista, os casos confirmados de coronavírus no Brasil podem chegar a 75 mil, com quase 4 mil em Minas Gerais e 400 em Juiz de Fora. Quanto aos óbitos, a projeção é de que haja 5.300 vitimas fatais no país, sendo 2 mil em Minas Gerais e 222 em Juiz de Fora.
E no contexto otimista, a estimativa de mortes é de cerca de 4.500 no Brasil, sendo 92 em Minas Gerais e 14 em Juiz de Fora.
Veja também: Número volta a crescer e Minas Gerais chega a 41 mortes por coronavírus

Comentários