Fantasias criativas chamam a atenção no carnaval de Ouro Preto

Terra plana, heróis e banda Kiss marcam presenças nas ruas de pedra da cidade

Uma das coisas mais divertidas do carnaval é, sem dúvidas, as fantasias escolhidas pelos foliões para participarem da festa. Em qualquer lugar do Brasil sempre é possível ver um show de criatividade do público e em Ouro Preto não foi diferente.

Super-heróis

Por isso conversamos com os donos de algumas das mais criativas e bem feitas fantasias do carnaval ouro-pretano. E quem passava pela praça Tiradentes no início da noite de segunda-feira (24), se sentia protegido. Isso porque três dos mais famosos heróis dos quadrinhos e cinema patrulhavam o local: o Batman, o Capitão América e o Superman.

E a identidade secreta dos heróis logo foi descoberta. Se tratavam dos belo-horizontinos André, Malton e Paulo. Os foliões afirmaram que a paixão pelos heróis os inspiraram a escolhê-los como fantasia.

“A gente gosta muito de super-heróis, eu sou apaixonado com o Superman, ele com o Batman, tem tatuagem, bonecos. A gente sempre quis vir e esse ano acabou que deu certo”, disse o homem de aço.

Fantasias criativas chamam a atenção no carnaval de Ouro Preto
Crédito da foto: Maic Costa/Mais Minas

Questionados sobre serem de Belo Horizonte, outro carnaval muito famoso de Minas Gerais, e estarem em Ouro Preto, os heróis explicaram que estão entre uma e outra folia.

“A gente veio aqui na sexta-feira (21) e voltou hoje. Os outros dias a gente ficou lá (em Belo Horizonte) mesmo. É o terceiro ano consecutivo que passamos pelo menos um dia aqui”,  contou o folião.

Kiss

Além dos heróis, outros famosos que marcaram presença foram os membros da banda Kiss, presentes nas fantasias do ouro-pretano Jimmy Simon e sua turma. Donos de uma empresa de fantasias, as estrelas do rock afirmaram se fantasiar todos os anos.

“A gente tem uma empresa de produção de fantasias e aí sempre fazemos umas fantasias assim para poder vir. Um ano atrás a gente fez uma homenagem ao Jimmy Hendrix e agora homenageamos essa turma do Kiss”, contou Jimmy.

Fantasias criativas chamam a atenção no carnaval de Ouro Preto
Crédito da foto: Carla Cruz/Mais Minas

Perguntado se a escolha de fantasia vem de seu gosto musical, Jimmy Simon afirmou que gostam de diversos estilos mas que resolveram homenagear o Kiss.

“Nós somos bem ecléticos, gostamos de tudo, não só rock. Mas no rock nós homenageamos uns caras desses que é uma coisa inesquecível né? A gente usa o carnaval para homenagear o que a gente gosta e também para fazer uma propaganda do trabalho, das fantasias da gente. Somos nós que as produzimos, fazemos toda a criação”, disse o homem.

Terra plana e “zebra gorda”

Outras duas fantasias que chamaram a atenção foram as dos professores Rodrigo Júnior e Márcia. Os foliões explicaram suas fantasias, ambas com direcionamento político.

“Minha fantasia é de ‘terra plana’ e, portanto, é contra qualquer autoritarismo”, disse o homem, que carregava em seu corpo um grande isopor em forma de terra plana, teoria defendida por conspiradores sobre o formato do nosso planeta. Colado no material podiam se ver diversas manifestações políticas como “Quem matou Marielle?”, “Laranjal do Queiroz”, entre outras.

Fantasias criativas chamam a atenção no carnaval de Ouro Preto
Crédito da foto: Maic Costa/Mais Minas

“A minha é de ‘zebra gorda’, porque eu fiquei muito ofendida com o comentário do meu chefe, o ministro da educação, que me chamou de ‘zebra gorda’. Algo descabido e inadmissível, chamar os professores de ‘zebras gordas’. Ele disse que nós professores somos ‘zebras gordas’ porque ganhamos mais de R$ 20 mil por mês e só trabalhamos oito horas por semana. E isso é tão fora da realidade. Os professores trabalham muito. Os que ganham bem são professores já com seus 70 anos de idade, que já trabalharam muitos anos, décadas e décadas para chegar lá, e hoje a situação nem é mais essa para quem é jovem. Então é uma propaganda enganosa”, falou a professora.

Falando sobre as motivações sua fantasia, Rodrigo comentou que são críticas ao governo de Jair Bolsonaro.

“É sobre a grande incompreensão que o governo Bolsonaro possui sobre a universidade. A universidade produz muito mais coisas do que maconha, como ele disse que produz. Isso é um grande engodo. A universidade brasileira produz conhecimento para mim, para você e para todas as pessoas”, completou.

Veja também: Apesar do clima frio, blocos de rua animaram a Praça Tiradentes durante a segunda-feira de carnaval

Deixe seu comentário