Take a fresh look at your lifestyle.

Heróis Não Usam Capas

O dia 15 de outubro é uma das datas mais importantes do calendário brasileiro, é o dia do profissional que forma todos os outros: o Professor. Médicos, advogados, engenheiros, todos eles para chegar aonde chegaram tiveram que passar pelas mãos dos professores, não existe nada que se sonhe ser que não perpasse pela escola.

Mas se o ato de lecionar é tão importante, por que é tão pouco valorizado? Pesquisas recentes da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) mostram que as licenciaturas têm atraído cada vez menos jovens nas universidades. Não por acaso são também os cursos com maiores índices de evasão, em especial no campo das exatas (Matemática, Física e Química).

Infelizmente nossa educação, apesar dos recentes avanços que vivemos entre 2003-20015, segue deficitária. O salário docente é o mais baixo entre todas as categorias que tem curso superior e muitos estados (como Minas Gerais) não pagam o piso salarial básico destes profissionais, obrigando-os a trabalhar em duas, três e às vezes até quatro escolas para conseguir ter uma renda minimamente digna.

O retrato disso são mestres cansados, desanimados e adoecidos. Somando-se a isso temos as péssimas condições de trabalho onde falta tudo: merenda, giz, livros, lâmpadas, etc. Em resumo: falta dignidade. É muito desanimador ver trabalhadores que se matam de estudar, fazem pós-graduação e recebem em troca do mais nobre de todos os atos a desvalorização.

Quando falo de dignidade, não falo só da baixa remuneração, mas também das condições insalubres das escolas públicas de maneira geral. Salas de aula lotadas, desrespeito e falta de interesse por parte dos alunos e muitas vezes, perseguições arbitrárias aos que teimam em lutar por seus (mínimos) direitos. É este o (triste) retrato da Educação Pública em nosso país.

Somando-se a isto, temos a hipocrisia dos que acham que os servidores educacionais são vagabundos, chamando-os de à toa, por exemplo, quando realizam passeatas por condições mais dignas ou entram em greve pelo direito de aposentar. Curiosamente, são os mesmos que colocam recados carinhosos nas redes sociais homenageando os professores em seu dia. Deste tipo de gente, sinceramente, quero distância, afinal de contas, conviver com gente assim, o máximo que pode trazer é uma bela azia.

Assim, nesta data tão simbólica e especial, prefiro homenagear aqueles e aquelas que lutam, mesmo contra tudo e contra todos, por uma educação pública, gratuita, de qualidade e para todos e todas sem distinção de raça, gênero ou orientação sexual. Para cada uma destas pessoas desejo meus sinceros parabéns, pois seguir nesta profissão quando tudo aponta contra, é uma tarefa de super-herói, tipo aqueles de desenho animado, que tiram do próprio bolso para garantir uma aula mais interessante.

Se você é um destes ou os defende, saiba que tem meu total respeito! Se não é, apresento meu total desprezo, pois uma sociedade que não valoriza os seus educadores nunca poderá ser chamada de sociedade.

Lembre-se: todo bom começo tem um bom professor!

Até a próxima.

Leia Também:

Pedro Peixe: colunista do Mais MinasPedro Luiz Teixeira de Camargo (Peixe) é Biólogo e Professor, Especialista em Gestão Ambiental e Mestre em Sustentabilidade. Atualmente é Doutorando em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela UFOP/MG.

Close