Fake News: hospitais de Divinópolis alertam população sobre mensagens falsas do coronavírus

A cidade de Divinópolis tem apenas um caso confirmado do coronavírus e 19 em investigação. Entretanto, mensagens falsas, com a informação de que a cidade teria vários casos confirmados da doença, tem deixado a população apreensiva. Assim, os hospitais São João de Deus e Santa Lúcia começaram a alertar os moradores sobre a divulgação das fake news.

As mensagens de áudio compartilhadas nos grupos de WhatsApp, afirmam que a cidade já teria diversos casos confirmados da doença, ainda sem divulgação da mídia. Além disso, alguns casos estariam internados em estado grave de saúde.

Leia a nota oficial do Hospital São João de Deus na íntegra:

O Complexo de Saúde São João de Deus vem a público esclarecer que, contrariando alguns áudios compartilhados em redes sociais, A INSTITUIÇÃO NÃO POSSUI NENHUM PACIENTE INTERNADO COM DIAGNÓSTICO CONFIRMADO DO CORONAVÍRUS.

Trata-se de mais uma notícia falsa (fake news), criada com o objetivo de alarmar a população.
Destacamos que o Complexo de Saúde São João de Deus está preparado para receber os pacientes que estejam com suspeita de contaminação pelo Coronavírus, disponibilizando de um espaço exclusivo para atendimento destes, de forma a evitar o contato com demais clientes que aguardam por outros atendimentos.

O CSSJD segue no combate à disseminação do Coronavírus, preservando a saúde de seus pacientes e profissionais

Além disso, o Hospital Santa Lúcia também divulgou que não há pacientes internados no local com diagnóstico confirmado de coronavírus.

Leia também: Veja o que são mitos e o que são verdades sobre o novo coronavírus

A situação da cidade

Divinópolis teve o primeiro caso do vírus confirmado em Minas Gerais, na última sexta-feira (13). De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), publicado ontem (17), são 19 casos em investigação.

A cidade decretou situação de emergência por pelo menos 20 dias, adotando medidas preventivas. Como por exemplo, a suspensão das aulas em rede pública e particular, shows, eventos, casas noturnas, academias, bibliotecas e museus. As cirurgias de hospitais conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS), também foram suspensos por tempo indeterminado a partir do dia 23 de março.

Comentários