Minas Gerais envia ajuda para combate às queimadas na Amazônia

Comprometido com a cooperação entre os Estados e a União no combate aos incêndios na Amazônia Legal, o Governo de Minas Gerais colocou-se à disposição das autoridades competentes para colaborar no combate às queimadas na floresta, que já dura dias.

Em decorrência disso, em uma carta enviada ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, o governador de Minas, Romeu Zema, informou que o estado irá enviar 22 militares equipados com proteção individual; duas caminhonetes (equipadas com kits-reservatório capacitados para 600 litros de água para até 20 dias de atuação com rendições automáticas e uma aeronave AS50B2 (esquilo).

Além disso, o governador destacou que o Governo do Estado e o povo mineiro estão profundamente sensibilizados com as queimadas na Amazônia Legal.

Em períodos de tempo seco, é preciso ficar atento ao risco de queimadas

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Geras, o tempo seco favorece os incêndios, especialmente florestais. Dessa forma, os esforços de vigilância e o combate a esse tipo de ocorrência se tornam mais frequentes entre os meses de junho e setembro, que correspondem a época mais seca do ano.

Além disso, os bombeiros também chamam atenção para a importância dos cidadãos na prevenção e no combate aos incêndios. Para isso, alertam que: atear fogo em áreas protegidas é crime; fogueiras feitas em locais permitidos, por sua vez, devem ser monitoradas e apagadas com água abundante e enterradas depois do uso.

Também é preciso tomar cuidado ao descartar guimbas de cigarro, além de manter lotes baldios capinados à enxada e não utilizando o fogo, pois, para queimar áreas, mesmo que particulares, é preciso ter autorização. Ainda segundo os militares, balões de festas juninas e fogos de artifício nunca devem ser usados.

*Com informações da Agência Minas.

Comentários