DestaqueSaúde

Minas Gerais tem três mortes por dengue em 2020

Foi divulgado hoje (31), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mais uma morte por dengue em Minas Gerais. De acordo com o boletim, essa é a terceira morte confirmada em 2020 e 18 óbitos estão ainda em investigação.

Segundo o boletim epidemiológico, Minas Gerais já registrou, somente neste ano, 39.842 casos suspeitos da dengue. Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados 715 casos notificados, e em relação a Zika, são 236 casos prováveis, sendo 59 em gestantes.

Assim, as mortes por dengue foram registradas nas cidades de Medina, Itinga e Carneirinho. Há um óbito em investigação da Febre Chikungunya no município de Campo Belo.

Durante a última semana, mais de 4 mil casos suspeitos foram notificados.

Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue, zika e chikungunya por município nas quatro últimas semanas epidemiológicas (atualizado em 30 de março)

Dengue

Minas Gerais vivenciou quatro grandes epidemias em 2010, 2013, 2016 e 2019. Neste ano, até o
momento, foram notificados 39.842 casos prováveis registrados.

Em 2019, segundo dados do Sistema de Informação dos Agravos de Notificação (SINAN), 2.986 casos foram
classificados como Dengue com Sinais de Alarme e 276 casos foram classificados como Dengue Grave.

Quanto aos óbitos, em 2019, foram confirmados 183 mortes por dengue e 68 permanecem em investigação. Em 2020, já houveram três mortes pelo agravo.

Febre Chikungunya

Foram registrados 2.800 casos prováveis de chikungunya em 2019. Desse total, 48 são gestantes, sendo 12 com confirmação laboratorial. Até 2015 todos os casos eram importados e, apenas em 2016 começaram a ocorrer casos de chikungunya no país, com o maior número de casos prováveis notificados em 2017.

Em 2018, houve casos prováveis de chikungunya localizados em 13 macrorregiões, com maior
concentração de casos na região Leste, onde está situado o Vale do Aço.

Em 2017, o estado de Minas Gerais confirmou 15 óbitos por chikungunya, 12 do município de Governador
Valadares e um nos municípios de: Central de Minas, Ipatinga e Teófilo Otoni. Foram confirmados dois óbitos por chikungunya nos municípios de Coronel Fabriciano e Ipatinga em 2018, mas ainda há um óbito em investigação. Em 2019, foi confirmado um óbito por chikungunya no município de Patos de Minas, e existe um óbito em investigação. No ano de 2020, há uma morte em investigação no município de Campo Belo.

Leia também: Caminhoneiros serão o próximo foco da campanha de vacinação contra a gripe

Comentários do Facebook
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar