Ultimate magazine theme for WordPress.

Ministra Damares investe em política de ‘escolher esperar’ para reduzir números de gravidez na adolescência

A Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, está com um novo projeto para conscientizar e estimular os jovens a postergar o início da vida sexual. A ideia é inspirada no programa cristão “Eu Escolhi Esperar”, que incentiva os adolescentes a fazerem sexo apenas após o casamento. Esta seria uma maneira de prevenir a gravidez na adolescência e reduzir os números de gravidez indesejada no Brasil.

Por meio de nota, o Minsitério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disse que a política de uso de contraceptivos está a cargo do Ministério da Saúde e que a proposta, chamada oficialmente de “iniciação sexual tardia” é complementar.

A nota afirma que o projeto não visa incentivar o uso de preservativos, mas sim que haja uma sugestão de um “outro caminho”. E ainda, também foi lembrado que os métodos contraceptivos não apresentam 100% de eficácia. Portanto, não será mostrado o modo de uso de anticoncepcionais e camisinhas.

Haverá uma reunião ainda esta semana para tratar sobre o assunto com a presença da secretaria da criança e do adolescente.

Números

A Ministra Damares busca uma medida conservadora como alternativa para mudar o número de adolescentes com gravidez. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil tem 62 adolescentes grávidas para cada grupo de mil pessoas na faixa etária entre 15 e 19 anos. Os números registrados em 2019, e que também se repetiram em 2018, representa uma média maior que a mundial.

O método proposto por Damares para “frear” os altos números de gravidez na adolescência no Brasil busca uma exatidão muito precisa, já que não confia nos métodos contraceptivos, que, como diz a nota da ministra, não apresentam 100% de eficácia. Entretanto, em sua maioria, as maneiras mais populares de prevenção tem eficácia comprovada de até 99% se seguidas as recomendações de uso.

Além disso, o aborto ilegal, outro grande problema entre as mulheres brasileiras, ainda não tem solução prevista. Em julho de 2019, a Ministra Damares também se manifestou contra a legalização do aborto em qualquer circunstância.

Leia também: Damares recebe título de cidadã honorária e fala sobre prevenção ao suicídio em Minas

Comentários do Facebook