Mitos e verdades para a compra de um carro

São muitas as questões envolvidas na hora da compra de um carro. Mas, o que são mitos e verdades? O que os motoristas devem considerar? Veja aqui!

Colocar um preço justo no automóvel usado no momento de vender não é uma tarefa tão simples quanto pode parecer. Para auxiliar nesse processo, existem ferramentas como a Tabela Fipe, que permite consultar os valores médios estipulados pelo mercado para determinado modelo de carro, baseado no seu ano de fabricação.

Entretanto, essa tabela é apenas uma referência para quem compra ou vende um veículo. Esses valores podem variar de acordo com a situação do veículo ou preço proposto pelo comprador ou vendedor, tornando a situação um pouco mais complexa na hora de negociar.

Especialmente na hora de comprar um carro usado são vários os pontos envolvidos, como quilometragem, estado de conservação e histórico de manutenção. Existem também modelos que são mais simples e complexos para vender, como diz a famosa lei de oferta e demanda.

Portanto, neste artigo, iremos abordar sobre os mitos e verdades para a compra de um carro. Confira!

É preciso ver o preço do seguro auto antes da compra

Considerar o valor do seguro antes da compra não é um mito. Anterior a compra de um veículo, é importante que o futuro dono tenha noção da base de valor que irá envolver a contratação do seguro auto. É fato que o preço do seguro varia por modelo e ano do carro e existem modelos com seguro mais barato.

Mas, é preciso ressaltar que existem diversos fatores que podem fazer com que esse valor varie, seja de acordo com a seguradora, estado do veículo, perfil do motorista e coberturas contratadas.

Carro blindado tende a se desvalorizar

Modificações e outras personalizações nas características de fábrica do carro são atividades que o desvalorizam na hora de revender.  Manter a originalidade é um fator que auxilia a conseguir um preço melhor, combinada com outros fatores.

A blindagem entra na lista dessas modificações. Assim como customizações, o valor pago para efetuar essa modificação não terá retorno no momento da revenda, e o vendedor acabará saindo no prejuízo.

Especificamente em relação à blindagem, ela contribui para a desvalorização por ampliar o peso do veículo, o que pode afetar aspectos como a suspensão, e por ser necessário maior custo para ser mantida.

Os vidros por exemplo, após um tempo apresenta um problema chamado delaminação, que reduz a eficácia balística e requer o reparo ou troca do mesmo.

Compra de carros usados é melhor quando feita com particular

Podemos dizer que a verdade é o contrário desse mito: não compensa muito adquirir carros usados com particulares. Esse mito acontece porque é possível negociar mais detalhadamente com um particular e acabar pagando menos pelo veículo.

O problema é que a diferença é grande se não há a mesma garantia e segurança quando a compra é feita de uma pessoa, em comparação quando a compra é realizada em uma concessionária e com selo de segurança.

Em uma concessionária de confiança, o veículo é limpo, analisado, cuidado, passa por vistorias para melhor análise de rendimento. Esses detalhes fazem parte apenas de uma pequena parcela de todo um trabalho para que aquele automóvel esteja nas melhores condições possíveis para os clientes. 

Por fazer compras inseguras assim, por conta de uma “economia”, que acabam surgindo outros mitos.

Fazer reparos na lataria contribui com a venda

São muitos os tipos de reparos na lataria que um carro usado pode precisar. Mas, é importante que o motorista considere as vantagens e desvantagens, referente ao gasto e retorno. 

Por exemplo, corrigir amassados que não abalam a pintura é um serviço mais barato. Então, vale a pena investir como forma de melhorar a estética. No caso de arranhões, um polimento ou retoque nos riscos pode ser uma saída vantajosa. 

Mesmo se a lataria não tiver riscos, um polimento pode ajudar a valorizar o veículo, já que o deixará mais atraente. Caso ela esteja manchada ou danificada, especialistas recomendam a cristalização.

Porém, vale a pena considerar que muitos motoristas não têm conhecimento técnico sobre pinturas. Portanto, é preciso sempre considerar se o investimento valerá a pena, ou então, se abaterá o valor da oferta final.

Carros de um único dono são melhores

É claro que o carro que teve apenas um dono tem maior probabilidade de estar mais conservado do que um automóvel com que passou por vários proprietários. Mas, é possível que um veículo tenha tido mais de dois donos que cuidaram muito bem do carro e esteja em perfeitas condições, ao mesmo tempo que você pode comprar um carro de um único dono, mas que foi danificado.

Para encontrar a qualidade de um automóvel seminovo, procure pelo selo de procedência e, caso precise, leve o veículo a um mecânico de confiança para uma avaliação.

Então, gostaram de saber sobre os mitos e verdades para a compra de um carro? É importante analisar cada ponto para realizar uma compra mais segura.

Veja também: O que fazer se seu carro pifar no meio da rua? Confira esses cuidados!

Comentários