Moradores em situação de rua em Belo Horizonte ganham espaço para atendimento

Com o surgimento do coronavírus, grande parte da população em situação de rua perdeu o acesso a locais que antes eram frequentados por eles, como ambientes para a higiene pessoal e alimentação. Assim, uma ação emergencial foi criada pela Pastoral de Rua da Arquidiocese de Belo Horizonte, a fim de atender essas pessoas em situação de rua e em vulnerabilidade. Durante esta semana, dois novos centros de atendimentos serão inaugurados.

De acordo com a porta-voz da pastoral de rua, Claudenice Rodrigues, o espaço, possui expectativa de atendimento para cerca de 1.200 pessoas. Além disso, o local contará com acesso à alimentação, higienização e atendimento à saúde. Sendo exclusivamente para atendimento emergencial, o ambiente não será disponibilizado para que os atendidos passem a noite. 

A denominada “praça da saúde”, equiparada com médicos, ficará responsável por diagnosticar possíveis casos de coronavírus ou situações de saúde grave, sendo estes encaminhados para unidades de saúde de Belo Horizonte. 

Além disso, o espaço disponibilizará banhos e a distribuição um “kit inverno”, que contará com agasalhos, cobertor ou saco de dormir e dois pares de meia. 

Para aqueles que não possuem documentação, a “praça da solidariedade e cidadania” ficará responsável por organizar os documentos de cada pessoa assistida. 

Os locais para atendimento serão feitos na Serraria Souza Pinto e na avenida dos Andradas, hiper centro de Belo Horizonte. Segundo a Pastoral o espaço teve iniciativa principal da população, sendo apoiada pelo governo do estado e do município.

Sendo assim, os trabalhos serão todos voluntários e o espaço contará com doações de materiais de higiene e alimentos. As doações deverão ser feitas no Colégio Santo Antônio, na rua Santa Rita Durão, número 983, no bairro Funcionários.

Leia também: Pastoral busca doações para proteger moradores de rua do coronavírus

Comentários estão fechados.