Barão de CocaisBarragemMeio AmbienteMinas GeraisMineraçãoVale

Movimentação aumenta e talude da mina Gongo Soco pode se romper até domingo

A movimentação da parede mais que dobrou nos últimos dias

A Vale informou que a movimentação do talude da mina de Gongo Soco aumentou. Antes a estrutura se movia de 3 a 4 cm por dia, agora o número subiu para 5 a 10 cm diários. Com os novos dados, a projeção é de que o talude pode se romper até domingo(26).

As atividades na mina de Gongo Soco estão suspensas desde do dia 17 de maio. Quando o diretor da Agência Nacional de Mineração (ANM), Eduardo Leão, informou que com a gravidade do fato, o talude iria se romper de qualquer jeito.

 A Vale vem tomando medidas preventivas, como a interdição de uma parte da ferrovia que liga BH a Vitória. Além de simulações de evacuamento de emergência com os moradores da região. Mas a população de Barão de Cocais tem vivido um clima de terror desde que os primeiros alertas de rompimento foram feitos.

A barragem é classificada com nível 3 de risco. Dessa forma, ninguém sabe informar o tamanho real da devastação que iria ocorrer caso o rompimento se concretize. A Secretária de Estado do Meio Ambiente projeta que 15% de todo o complexo deve ser destruído.

Ruptura do talude pode ser só o começo

Com um reservatório de rejeitos bem próximo a mina de Congo, autoridades e população temem que o talude ceder seja só o começo do desastre. O tremor ocasionado com a ruptura das paredes da mina, pode vir a ser um estímulo para o rompimento do reservatório.  

Se isso acontecer, a lama pode chegar a um local onde vivem mais de 6.000 mil pessoas. Cerca de 400 moradores já foram tirados de suas casas. O motivo é de que eles habitavam uma área chamada de autossalvamento. Os locais classificados dessa maneira, são aqueles onde não haveria como o resgate chegar a tempo. 

  Vale suspende operação em usina de Jeceaba (MG)
Fechar