15.5 C
Belo Horizonte
terça-feira, 16 agosto 2022
Portal Mais MinasOuro PretoEntrevista MM: novo secretário de Saúde fala sobre prioridades para 2022 em Ouro Preto

Entrevista MM: novo secretário de Saúde fala sobre prioridades para 2022 em Ouro Preto

O final do primeiro ano do quarto mandato de Angelo Oswaldo (PV) na Prefeitura de Ouro Preto está marcado por várias mudanças em seu secretariado. Uma das mais recentes se refere à Secretaria de Saúde, que será deixada pela Glauciane do Nascimento para a entrada do enfermeiro Leandro Moreira. Ele deve assumir o cargo no início de janeiro.

Glauciane é servidora concursada de Ouro Preto, atuando durante um longo período na Unidade Básica de Saúde do Morro Santana antes de ser secretária de Saúde da cidade. Ela foi chamada para dar aula de enfermagem em duas importantes universidades em 2022, uma de Belo Horizonte e outra de São Paulo e, portanto, não pode continuar à frente da secretaria.

Leandro Moreira é administrador da Santa Casa de Ouro Preto e já trabalhou na prefeitura em dois mandatos anteriores. Ele está na cidade há 15 anos e atuou em todos os pontos de atenção relacionados à saúde. Fez 11 anos de plantão no hospital enquanto trabalhava durante o dia em postos de saúde. Em 2013, assumiu a coordenação da UPA e Samu e, em 2017, foi para o cargo de superintendência de rede.

“Com relação a 2022, o principal ponto são os olhos para uma saúde de qualidade humana para a população e em relação à atenção primária. Em 2021, exigiu muito da gestão de saúde para o modelo curativo, por conta da pandemia. Então, sementes foram plantadas com o objetivo de atenção primária e secundária, mas o foco foi de trabalhar e organizar um apoio hospitalar. Com esse apoio já encaminhado e organizado, a próxima etapa agora que eu pretendo como secretário é o foco na atenção primária, fazendo dela como ordenadora do cuidado. Ela tem a possibilidade do acompanhamento integral dos grupos de pessoas que estiverem na unidade de saúde”, contou Leandro Moreira ao Mais Minas.

Na sua essência, a atenção primária à saúde cuida das pessoas, em vez de tratar apenas doenças ou condições específicas. Esse setor, que oferta atendimento abrangente, acessível e baseado na comunidade, pode atender de 80% a 90% das necessidades de saúde de alguém ao longo de sua vida.

Dessa forma, Leandro Moreira acredita que vários problemas relacionados à saúde poderão ser sanados em Ouro Preto, incluindo os ouro-pretanos que moram nos distritos e subsdistritos e que acabam tendo dificuldade de acesso a atendimentos em casos de tratamentos específicos.

“Ouro Preto tem uma particularidade geográfica, alguns distritos e subdistritos têm distância até maior do que cidades vizinhas. Então, o objetivo do fortalecimento da atenção primária nos distritos gera uma possibilidade de resolver as necessidades da saúde da população em torno de 80% e aí só precisaria retirar para dar continuidade no cuidado, vindo para a saúde ou levando para algum polo de apoio, em torno de 20%. Investimento no fortalecimento da atenção primária, automaticamente se garante mais acesso para a população”, disse Leandro.

O secretário de Saúde fez o seu estágio em dezembro de 2006 na Secretaria de Saúde de Ouro Preto, formou-se em 2007 e entrou na prefeitura no primeiro ano do segundo governo de Angelo Oswaldo, que se reelegeu e, portanto, Leandro ficou mais quatro anos junto à gestão municipal. Ele conta que seu conhecimento e aperfeiçoamento em atenção primária se desenvolveu nesse período do governo do prefeito.

Leandro vê o trabalho feito por Glauciane como positivo e dentro do esperado por se tratar do primeiro ano de governo, o que lhe deu segurança para assumir a pasta. O secretário tem a expectativa de encerrar seus trabalhos juntos com o governo de Angelo Oswaldo.

“Assumir a Secretaria de Saúde requer um planejamento maior, de longo prazo, para não haver desfragmentação. Então, o primeiro ano, geralmente, já é um ano de diagnóstico e planejamento para plantar as primeiras sementes que se tem o objetivo de colher. A partir do segundo ano a gente começa a colocar a Saúde dentro do planejamento. Uma das seguranças que eu tenho em assumir a pasta é justamente o fato de Glauciane ter feito o diagnóstico, processamento das necessidades. O propósito, se tudo der certo, é que eu conclua o governo junto com Angelo”, contou Leandro.

Ainda não se sabe quem será o administrador da Santa Casa no lugar de Leandro. Segundo o novo secretário de Saúde de Ouro Preto, o anúncio será feito pelo hospital nesta quarta-feira, 22 de dezembro.

Controle da pandemia

Ouro Preto é uma das cidades consideradas referência na imunização da população contra a Covid-19. De acordo com o “vacinômetro” da Secretaria de Estado de Saúde, na Cidade Histórica, 70.733 pessoas foram vacinadas com a primeira dose da vacina, 65.222 com a segunda, 3.817 com a dose única e 11.636 com a dose de reforço. Portanto, 93,48% dos ouro-pretanos estão parcialmente imunizados contra o novo coronavírus e 91,25% recebeu a imunização completa.

“A Glauciane, neste primeiro ano de governo, buscou uma estabilidade no cuidado com a pandemia. Então, caminharam duas coisas ao mesmo tempo. Garantindo, através da Santa Casa, a assistência hospitalar que a população precisava, bem como as estratégias de vacinação, buscando um maior número de vacinados no menor tempo possível. Então, a estabilidade que temos hoje na pandemia se justifica por esses dois principais pontos que foram trabalhados”, explicou Leandro Moreira sobre o controle da pandemia em Ouro Preto.

Porém, por ser uma cidade histórica, Ouro Preto recebe turistas e vários lugares e, apesar de estar dentro do objetivo de meta vacinal, o país, em sua grande maioria, ainda avança na imunização contra a Covid-19 de forma lenta, tendo muitos municípios com índice de vacinação menor que o município ouro-pretano.

Com as festas de final de ano e a recepção de turistas, Ouro Preto está vulnerável a receber novas cepas do vírus. Portanto, Leandro contou que não medirá esforços para reavaliar os dados epidemiológicos e, se for o caso, aumentar as restrições na cidade.

“Acho que o grande ponto da vacinação é que não é que ela impediria de se contaminar, isso está voltado aos cuidados de orientação que foram passados desde o início da pandemia, que são lavar as mãos, uso da máscara e evitar a aglomeração. O grande diferencial da vacina é diminuir o número de complicações ou casos graves, que gerou nas internações hospitalares e, em muitos casos, evoluiu para a morte. Então, Ouro Preto, neste momento, está em estabilidade com a pandemia, mas não significa que temos que relaxar com os cuidados. A pandemia continua e, se for necessário em alguns pontos, como aconteceu no distrito de Antônio Pereira de dar um passo para trás e restringir um pouco mais para depois voltar novamente, vamos ter que fazer”, finalizou o novo secretário de Saúde de Ouro Preto.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: