O que você procura?

Homem que alertou sobre os sinais de desmoronamento do Morro da Forca é chamado de “heroi” em Ouro Preto

Rômulo Soares 14 de janeiro de 2022 às 21:38
Tempo de leitura
5 min
Foto: Facebook / Pedro Bitencourt
Foto: Facebook / Pedro Bitencourt

O enorme deslizamento de terra no Morro da Forca, que desabou dois imóveis históricos em Ouro Preto, repercutiu o país inteiro por conta das imagens impressionantes do incidente. Não houve feridos devido ao rápido trabalho da Defesa Civil e Ourotran em interditar o local. Mas há uma pessoa responsável por ter alertado as autoridades sobre o risco do desabamento cerca de 15 minutos antes do do desabamento. Trata-se de de Pedro Bittencourt de Oliveira, de 64 anos, morador do bairro Pilar.

Ele gravou um vídeo momentos antes do acontecido, que repercutiu nas redes sociais. Pedro tem sido tratado como um herói por alguns ouro-pretanos nas redes sociais. Veja:


Pedro leva sua esposa todos os dias para a casa de sua sogra, de 98 anos, localizada no bairro Bauxita. Na quinta-feira, ele estava percorrendo o trajeto e, ao passar em frente ao Centro de Convenções, olhou para o trânsito para ver se passava algum carro e passou os olhos no Morro da Forca, onde havia, segundo ele, um deslocamento de aproximadamente 10 centímetros de uma rocha e algumas pedras caindo.

“Eu acelerei o carro, deixei minha esposa na casa da mãe dela na Bauxita e retornei. Nisso eu deixei o carro na Praça da Estação, peguei o celular e comecei a filmar. Filmei o morro, o rachado e depois fui à Defesa Civil. Chegando lá, o pessoal estava em reunião. Encontrei com o funcionário Eugênio e falei ‘eu preciso falar com a Defesa Civil urgente, porque há um deslocamento no Morro da Forca que está muito estranho'”, conta Pedro Bitencourt ao Mais Minas.

A partir disso, ele mostrou o vídeo para a Defesa Civil pelo seu celular e alertou sobre a necessidade urgente de uma intervenção, já que se trata de uma área onde transita muitas pessoas em ônibus, moto, carro e a pé. Um dos membros do órgão pediu, então, para que Pedro o enviasse o vídeo, que prontamente disse: “Vocês vão lá agora ou eu vou lá na polícia e pedir alguém, porque alguém tem que tomar alguma providência.”

Eugênio, amigo de Pedro que estava por perto, reforçou o pedido, dizendo que não era brincadeira. Assim, todos foram para o local para tomar as devidas providências de segurança. “Quando chegaram, eles olharam e barraram todo o acesso para passar ali. Quando fizeram isso, a rocha deslizou e aconteceu o que aconteceu. Foi uma benção de Deus, eu fiquei muito emocionado. Bastante. Graças a Deus, ninguém morreu com isso”, diz o morador.

Pedro relata ao MM que o choque do desabamento chegou a causar pânico de todos que estavam em volta, tendo um cenário de várias pessoas correndo, desesperadas, prevendo um deslizamento ainda maior.

“Eu fiquei tão desesperado que eu peguei o carro que estava parado em frente à escadaria da Estação e vim embora. É muito choque, eu não acreditei, aquilo foi terrível. Tinha muitos ônibus parados. Quando o morro desabou, eles ficaram muito agitados. Todo mundo começou a correr, sair do ônibus e correr para o outro sentido. Todos acharam que a tragédia seria maior, que o morro ia começar a despencar. Sinceramente, foi terrível”, conta Pedro.

O “herói” do incidente diz que passa ali todo os dias e já presenciou outro desabamento no mesmo local, mas diz que a magnitude do ocorrido na quinta-feira foi maior.

“Foi na hora certa que eu vi aquela rocha deslocada. Eu passo ali todos os dias, lá já teve outro desabamento, na década de 1970, que eu presenciei. Então, em época de chuva, eu sempre passo ali e olho os deslizes pequenos do outro lado. Mas no dia 13 eu vi uma coisa anormal. Uma rocha deslocar. É um brutamonte de rocha que deslocou uns 10 centímetros”, disse.

Depois do susto, Pedro Bitencourt diz que tem recebido algumas mensagens de carinho e agradecimento de outros moradores de Ouro Preto, por ter alertado a Defesa Civil para que interditasse o local.

“As pessoas são muito solidárias, elas agradecem muito, dizem que passariam lá na hora e poderiam estar lá de baixo. Sou conhecido na cidade porque já tive uma pizzaria, mas não mexo com isso mais. Deus fez eu olhar para a rocha e avisar há tempo. Sou muito observador, ainda mais nessa época de chuva, que a situação está crítica para tudo que é lado”, relata.

O Ministério Público de minas Gerais (MPMG) investigará a responsabilidade do deslizamento no Morro da Forca. A Prefeitura de Ouro Preto, que teria deixado de apresentar ao MPMG uma documentação comprovando medidas adotadas para a prevenção de desastres por conta do risco geológico, se pronunciou sobre o caso.

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.