21.5 C
Belo Horizonte
quarta-feira, 30 novembro 2022

Família de Cachoeira do Campo, em Ouro Preto, precisa da sua ajuda para tratamento de AVC de ex-servidora da prefeitura

Depois de anos trabalhando e ajudando pessoas, hoje a nutricionista Silvania Rossi precisa da sua ajuda

Opinião: Centro histórico de Ouro Preto tem Natal de Luz enquanto distritos vivem apagão de luz

A Ouro Preto de Natal vendida na imprensa estadual e nacional está longe da realidade da maioria da população, que está aflita com as chuvas, estradas em situação precária e o breu nas regiões longe dos holofotes culturais.

Manifestação contra a Saneouro acontece nesta quarta-feira (26) em Ouro Preto

Assembleia Popular está marcada para às 16 horas na Praça da Estação

A população de Ouro Preto continua na luta pela retirada da empresa Saneouro da cidade. Nesta quarta-feira, 26, haverá mais uma manifestação (a terceira do mês), a partir das 16h, na Praça da Estação, em ferente ao coreto. A chamada “Assembleia Popular” está sendo convocada pela Força Associativa dos Moradores de Ouro Preto (FAMOP).

Na convocação, a FAMOP reitera que a manifestação pacífica, que tem como pauta a “remunicipalização” do serviço de água e a suspensão da cobrança por consumo, é aberta a todos os cidadãos, movimentos populares, coletivos, sindicados e organizações que queiram somar na luta.

Na primeira manifestação ocorrida em outubro, no dia 10, centenas de pessoas caminharam até a prefeitura de Ouro Preto para protestaram contra a presença da Saneouro na cidade. A Saneouro é uma empresa que venceu a licitação no governo de Júlio Pimenta, ex-prefeito de Ouro Preto, para assumir o serviço de abastecimento de água e esgotamento sanitário em janeiro de 2020, pelo prazo de 35 anos, em detrimento da extinção do SEMAE, que era a autarquia municiipal responsável pelos serviços.

Junto com a licitação surgiu a possibilidade do pagamento da água pelo consumo no lugar da tarifa básica operacional (TBO) antes praticada. Nesse início do mês de outubro, a empresa tornou realidade essa nova cobrança de água , pelo consumo real, o que ascendeu, mais uma vez, a revolta da população, que, desde o início, reclama da tarifa praticada pela empresa e não necessariamente por pagar pelo consumo.

Na segunda manifestação registrada na cidade neste mês, ocorrida no dia 19, dezenas de pessoas levaram suas contas de água com altos valores para a prefeitura indignadas com o valor praticado no município. A manifestação terminou com um conflito entre manifestantes e a Guarda Civil Municipal, que expulsou os protestantes do prédio da prefeitura usando cassetete e spray de pimenta.

Você pode gostar também:

RECENTES

Veja também sobre: