Mancebo VanguardistaOuro PretoPolítica

“oposição” DE MEIA TIGELA

Desde que política é política, existem lados, – base aliada ao governo ou oposição – não estou aqui falando de direita ou de esquerda, esse discurso tem que ficar para trás e está bem ultrapassado para os moldes do que exige o mundo contemporâneo, por mais que existam, essa discussão é perda de tempo para as pessoas que defendem, por exemplo, o PT do Lula, esquerda extrema, ou o Bolsonaro, direita extrema.

A Câmara Municipal de Ouro Preto (Câmara Bernardo Pereira de Vasconcelos) é composta do total de 15 vereadores, sendo nessa legislatura (2017-2020), 6 eleitos por coligações oposicionistas às do prefeito vencedor. Desse montante podemos dizer que a metade, se não mais, conseguiu ser eleita ou reeleita pelas oportunidades que recebeu de trabalhar com o ex-prefeito Zé (José) Leandro na gestão do executivo passada (2013-2016), seja ocupando cargos importantíssimos para o avanço de determinadas áreas, seja indicando pessoas ou serviços.

Com isso, essas pessoas que tanto puderam trabalhar com autonomia em suas pastas, conseguiram dispor de uma cadeira no Legislativo pelos serviços prestados à sociedade, porém viraram as costas para o “grupo” que fingiam formar e encenam uma fajuta oposição que agrada aos interesses do atual mandatário do executivo. Que coisa mais vergonhosa, mais excêntrica, mais bizarra!

A cidade, livrando em termos o centro histórico, está a deus-dará. A saúde que falavam ser ruim no mandato passado, agora sim está péssima! Não se encontra nem material curativo nos postos, quem dirá remédio de controle na UPA. A educação, enquanto não houver investimento, continuará uma lástima! A Segurança, para quem anda nas ruas, convive cada vez mais com a insegurança! Capina, só onde está à vista das pessoas, passem pelo Taquaral, Passa Dez e distritos para notarem o quanto nosso município está sendo cuidado com “zelo”. Sem contar as inúmeras nomeações aos cargos comissionados que não param e os professores contratados da prefeitura com salários atrasados.

Onde isso vai parar? Cadê aquelas pessoas que tanto criticavam as atitudes e expunham os problemas da cidade nas redes sociais? Foram para Marte? Não há problemas mais? Ou estão em sua grande parte com alguma boquinha, nomeadas em algum dos vários cargos comissionados? Repetirei aqui, o que disse em outro artigo: Os mais velhos já acomodaram-se ou já adaptaram-se à Ouro Preto em que vivem, porém cabe aos jovens mudarem essa realidade de aceitação de tudo que é feito por seus representantes políticos, sobretudo se começarem a acompanhar, a participar e a cobrar políticas voltadas para o seu bairro, para seu distrito, para a cidade e não só para si. De tanto as pessoas pensarem em si próprias, chegamos ao ponto em que estamos. Para muitos, Ouro Preto é tudo, para alguns, – inclui nativos – Ouro Preto não é nada!”. Onde está o jornalismo sério da cidade?

De tanto falarem no CORONEL – sim, esse meu é com letras garrafais, bem grandes assim como ele, que faz e não tem medo do que vão dizer – já estou com saudades! “Volta, “coroner”! “Vamo relembra presse povo comé que faiz!”

Leia Também:

Deixe seu comentário

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar