Take a fresh look at your lifestyle.

Peça de Teatro Com Jesus Transexual É Cancelada Após Liminar

Após um processo iniciado por uma advogada, a apresentação da peça de teatro “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, foi cancelado. A peça aconteceria na noite da última sexta-feira, 15, no SESC de Jundiaí, no Estado de São Paulo.

Para a advogada que moveu a ação, Virginia Bossonaro Rampin Paiva, a peça “é atentatória à fé cristã na qual Jesus Cristo não é uma imagem ou um objeto de adoração apenas, mas o verdadeiro filho de Deus que se encarnou no século I, entregou livremente a sua vida em favor de toda a humanidade e que ressuscitou e está vivo em nosso meio”.

Ainda no documento, Virgínia argumenta que o espetáculo ”certamente propõe uma rivalidade entre as pessoas e suas crenças, pois, ao sentirem ofendidas, poderão entrar num embate conhecido e muitas vezes visto e chamado como “guerra santa”, o que se pretende evitar”.

A peça teatral cancelada retrata Jesus como uma transexual e tem como protagonista a atriz e travesti santista Renata Carvalho.

Em publicação no Facebook, a organização da peça atribuiu o pedido de cancelamento a “congregações religiosas, políticos e TFP (Tradição, Família e Propriedade)”.

A decisão favorável à petição da advogada foi feita pelo juiz Luiz Antonio de Campos Júnior, da 1ª Vara Cível de Jundiaí. Na sua decisão, o Juiz afirma que ao retratar Jesus como travesti, a peça atenta à “dignidade da fé cristã” e “caracteriza-se ofensa a um sem número de pessoas” e que a decisão “Não se trata aqui de imposição a uma crença e nem tampouco a uma religiosidade. Cuida-se na verdade de impedir um ato desrespeitoso e de extremo mau gosto, que certamente maculará o sentimento do cidadão comum, avesso a esse estado de coisa”.

O juiz ainda escreveu que não desconsiderou a liberdade de expressão, mas sustentou que não pode ser tolerado “desrespeito” a “uma figura venerada no mundo inteiro”, referindo-se a Jesus, a quem tratou de exaltar no texto de sua decisão como “o filho de Deus”.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, os espectadores que haviam comprado os ingressos permaneceram na porta do teatro em apoio aos artistas.

No Facebook, a diretora do espetáculo, Natalia Mallo, se pronunciou:

O SESC de Jundiaí publicou em seu site uma Nota de Esclarecimento, informando que o SESC recorreu da decisão judicial, e que” o espetáculo provoca reflexões em torno de questões de gênero.”

O espetáculo será apresentado normalmente neste sábado (16), no Sesc de São José do Rio Preto, e no domingo (17), no Sesc de Santo André. Ainda estão previstas sessões no festival Porto Alegre em Cena (dias 21 e 22).

Close