Pelo sexto ano seguido, UFMG tem o melhor ensino do Brasil
Faculdade de Ciências Econômicas (FACE) da UFMG - Crédito da foto: Foca Lisboa/UFMG

O elevado índice de professores com doutorado e com dedicação integral e o rendimento dos seus alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) são alguns fatores que fazem o ensino da UFMG figurar, pela sexta vez consecutiva, como o melhor do país entre as universidades públicas e privadas avaliadas no Ranking Universitário Folha (RUF). A edição de 2019 foi divulgada nesta segunda-feira, dia 7, pelo jornal Folha de S.Paulo.

Na classificação geral, a UFMG ficou em quarto lugar, com pontuação de 96,72, atrás da USP, da Unicamp e da UFRJ. Desde que o ranking foi criado, em 2012, a UFMG sempre esteve entre as quatro melhores do país. Além disso, a Universidade foi classificada como a segunda melhor do Brasil em Mercado, conforme avaliação feita por empregadores de todo o Brasil. A Instituição também se destaca nas outras dimensões: Inovação (5º lugar), Pesquisa (7º) e Internacionalização (11º).

Nesta oitava edição anual, o Ranking Universitário Folha (RUF) classificou 197 universidades do país com base em dados nacionais e internacionais e em duas pesquisas de opinião do Instituto Datafolha.

“Esse resultado é motivo de muita satisfação, pois mostra que estamos cumprindo bem a nossa missão”, avalia a reitora Sandra Regina Goulart Almeida. Ela lembra que, apesar das diferenças de metodologias, a UFMG aparece sempre muito bem posicionada em rankings internacionais e avaliações institucionais. Na mais recente, a do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2018, a UFMG teve oito cursos de graduação com nota máxima (5) e quatro com nota 4 entre os 12 cursos de graduação avaliados.

Já o ranking da revista britânica Times Higher Education (THE), divulgado no mês passado, reafirmou a UFMG como a terceira melhor universidade brasileira, a mais bem colocada entre as federais. De acordo com a classificação, a UFMG figura na faixa 600-800 das melhores universidades do mundo.

Apesar do bom desempenho nessas avaliações, a reitora ressalva que a UFMG não trabalha em função de rankings. “Trabalhamos, sim, para continuarmos sendo cada vez mais referência em ensino, pesquisa e extensão”, pontua Sandra Goulart Almeida.

Cursos
O bom desempenho dos cursos da UFMG também foi evidenciado no ranking RUF, que, além de examinar o desempenho global da instituição, avaliou 39 cursos superiores. Nessa análise, 25 dos 39 cursos avaliados (64% do total) figuram entre os três melhores do Brasil. Todos os 39 cursos da instituição avaliados estão entre os oito melhores do país. A UFMG é a melhor em seis deles: Ciências Contábeis, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Propaganda e Marketing (que, na UFMG, tem o nome de Publicidade), Pedagogia e Psicologia.

Em outros 10 cursos, a Universidade é a segunda colocada: Administração de Empresas, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Computação, Comunicação, Direito, Engenharia de Controle e Automação, Farmácia, Fisioterapia e Nutrição.

A UFMG ficou com a terceira posição em nove áreas de formação: Design e Artes Visuais, Educação Física, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Letras, Medicina e Veterinária.

Por fim, em 11 cursos, a UFMG é a quarta melhor do país: Biologia, Economia, Engenharia Civil, Física, Geografia, História, Matemática, Odontologia, Química, Turismo e Zootecnia.

A dimensão Ensino, que tem peso de 32% no total da pontuação, é composta de quatro critérios: opinião de docentes do ensino superior, índice de professores com doutorado e mestrado, percentual de docentes em regime de dedicação integral ou parcial e resultado no Enade. Neste último item, a UFMG foi a única instituição do Brasil a alcançar nota máxima.

* Com informações da Assessoria de Comunicação da UFMG

Comentários do Facebook

Receba notícias do Mais Minas através do nosso grupo oficial do TELEGRAM. Não se preocupe, somente nosso número conseguirá fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequado. Participe: ENTRAR.

Faça parte também das nossas redes sociaisFacebook e Instagram. Siga o Mais Minas no Google Notícias clicando aqui.