Nos últimos tempos, muitas notícias têm trazido à tona um enorme risco ao trânsito no Brasil: a utilização de peças falsificadas em carros que precisam passar por reparos. Proprietários de veículos os quais fizeram as manutenções em seus veículos e tiveram as peças com defeito substituídas por novas peças, denunciaram a ação e peritos constataram a utilização de peças falsificadas como substitutas das peças originais.

A segurança e o desempenho adequado de um veículo não dependem apenas do seu projeto, sua fabricação e da condução por parte do motorista, mas também da qualidade das peças que o compõem. Peças falsas, ou seja, peças produzidas com a marca de uma outra empresa, sem a ciência ou anuência dela, ou ainda, peças produzidas com baixa qualidade e colocadas no mercado sem o compromisso com o atendimento aos requisitos funcionais especificados pelos fabricantes originais, podem ser facilmente encontradas no mercado e utilizadas em veículos, apresentando sérios riscos para os motoristas, passageiros e todos os usuários das vias. Por isso é importante destacar os perigos associados à utilização de peças falsas ou com baixa qualidade e a necessidade de adquirir componentes genuínos e de qualidade certificada.  

Peças falsas ou com baixa qualidade, podem ser fabricadas com materiais inferiores ou de baixa durabilidade, o que aumenta o risco de falhas durante o uso. Peças de freio falsificadas e de baixa qualidade, por exemplo, podem comprometer a capacidade de frenagem adequada do veículo, elevando o risco de graves acidentes. Componentes como velas de ignição, filtros de ar e óleo, correias e mangueiras falsificadas ou de baixa qualidade, na maioria das vezes, não funcionam corretamente, resultando em redução de potência, aumento do consumo de combustível e danos a outras partes do motor.

Com a crescente utilização de equipamentos tecnológicos nos veículos atuais, muitas funções importantes são controladas por sistemas eletrônicos, com isso, a utilização de peças de origem duvidosa, podem não ser compatíveis com esses sistemas, causando mau funcionamento dos componentes e até mesmo danos permanentes aos sistemas do veículo.

Ao optar pela utilização de peças genuínas, os proprietários de veículos têm a garantia de que estão adquirindo produtos que foram projetados e testados para funcionar corretamente em seus veículos. Além disso, eles geralmente recebem suporte técnico e garantia do fabricante. Peças falsas, por outro lado, não oferecem essas garantias e podem deixar os proprietários sem proteção em caso de falhas ou problemas.

Diante de todos esses riscos, é crucial adquirir peças de reposição de fontes confiáveis e reconhecidas, como revendedores autorizados e lojas especializadas. Além disso, ao realizar serviços de manutenção e reparo, é recomendado utilizar oficinas de confiança, que sigam as diretrizes do fabricante e usem peças genuínas.<