JustiçaNotíciasPolíticaSérgio Moro

Sérgio Moro deverá depor na CCJ do Senado na próxima semana

Durante o depoimento, espera-se que o ministro da Justiça fale sobre as mensagens vazadas publicadas pelo site The Intercept Brasil, no último domingo (9)

Na próxima quarta-feira (19), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, deverá depor na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

De acordo com as informações divulgadas pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, a data foi marcada depois de um acordo entre o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e os líderes da oposição ao governo na casa.

Durante o depoimento, espera-se que o ministro da Justiça fale sobre as mensagens vazadas publicadas pelo site The Intercept Brasil, no último domingo (9).  No conteúdo divulgado pelo site, Sérgio Moro, então juiz responsável pela Lava Jato no Paraná, parece orientar ações da Operação Lava Jato, além de cobrar novas operações dos procuradores que atuam na operação. O conteúdo da reportagem mostra diversos trechos de mensagens trocadas nos últimos anos.

  Polarização política pode pautar eleições municipais de 2020 em Ouro Preto

 

Moro se coloca a disposição para comparecer à Comissão de Constituição e Justiça do Senado

Na manhã da última terça-feira (11), Moro se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro pela primeira vez desde o vazamento das conversas. Depois do encontro, os dois seguiram para o Clube dos Fuzileiros Navais onde participaram da cerimônia de aniversário da batalha naval do Riachuelo, na qual o presidente entregou a medalha de Ordem ao Mérito Naval a ele e a outros ministros.

Durante a tarde, por meio de uma nota, o Ministério da Justiça condenou “a divulgação de possíveis conversas privadas obtidas por meio ilegal”.  O texto ainda afirma que a conversa entre o presidente da República e Moro foi tranquila, tendo o ministro feito todas as ponderações ao presidente, que então entendeu as questões que envolvem o caso.

  Vale suspende operação em usina de Jeceaba (MG)

Depois disso, Sérgio Moro ainda cumpriu sua agenda no Senado, onde se encontrou com parlamentares e se colocou a disposição para comparecer à Comissão de Constituição de Justiça.

Fechar