CinemaEntretenimento

Trilogia Eastrail 177: Corpo Fechado

“Unbreakable” (Corpo Fechado) foi lançado no ano 2000. Após 16 anos, surgiu o filme “Split” (Fragmentado) e agora está nos cinemas o filme “Glass” (Vidro). Mas o que há em comum entre eles? Os três filmes foram escritos, dirigidos e produzidos por M. Night Shyamalan (Manoj Nelliattu Shyamalan), cineasta indiano, naturalizado norte-americano, e ambos os filmes fazem parte da Trilogia Eastrail 177.

Se você assistiu os filmes “O Sexto Sentido”, ”A Vila” e “Depois da Terra” e gostou deles, é bom você parar alguns instantes para ler sobre essa trilogia, pois todos esses filmes também são de Shyamalan.

O desastre do trem Eastrail 177 ocorreu em 2000, quando o trem Eastrail número 177 descarrilou perto da Filadélfia devido a falhas mecânicas. Apenas um passageiro, David Dunn (Bruce Willis), sobreviveu ao acidente, surpreendentemente sem nenhuma lesão.

O nome do desastre do trem é usado como um termo de conveniência para a trilogia de filmes “Corpo Fechado”, “Fragmentado” e “Vidro” (este último lançado em 17 de janeiro de 2019). A “Trilogia Eastrail 177” é assim chamada porque todos os três personagens principais estão conectados ao desastre do trem. David Dunn estava viajando no trem quando descarrilou e ele foi o único sobrevivente. Kevin Wendell Crumb, de Fragmentado, perdeu seu pai no acidente, e Elijah Price (Senhor Vidro), o vilão de “Corpo Fechado” e o personagem pelo qual o terceiro filme recebeu o nome, projetou o desastre como um esforço para localizar David Dunn.

Apresentaremos os três filmes para vocês, mas vamos começar falando de “Corpo Fechado”.

Samuel L. Jackson interpreta o personagem Elijah Price, que sofre de uma forma de osteogênese imperfeita, caracterizada por ossos frágeis que se quebram com facilidade, contudo ele tem uma mente brilhante, o que o torna “diferente” dos demais.

Em ‘Corpo Fechado’, Samuel L. Jackson interpreta o personagem Elijah Price

Bruce Willis interpreta o personagem que é o oposto de Elijah: é extremamente forte. Único sobrevivente de um desastre ferroviário, David Dunn é perturbado por seu relacionamento difícil com sua esposa Audrey. Ele não acha extraordinário escapar sem um único arranhão de um grave acidente até encontrar uma frase no para-brisa do seu carro: “Quantas vezes você esteve doente em sua vida?”. A pergunta incomoda Dunn, porque ele realmente não se lembra da última vez em que ficou doente.

O desempenho de Jackson em Corpo Fechado é, sem dúvida, um dos seus melhores. A maneira como a sua atuação se move para longe de seu estilo bombástico mostra o sofrimento de seu personagem fisicamente torturado pela doença, mas também internamente, olhando distraído buscando a validação de sua teoria de que há uma linha de pessoas “especiais” que inspiraram os mitos, mas também os heróis indestrutíveis da história em quadrinhos, colocados na Terra para superar o mal. Elijah é um mentor e um antagonista para Dunn. Ele “desenvolve” Dunn, ou seja, é a construção do herói pelas mãos do vilão.

Corpo Fechado desenvolve um outro tema recorrente nos filmes de Shyamalan: a certeza da existência de um mal real com horrores que se escondem sob a fachada da vida cotidiana, perversões “subterrâneas”. O filme é maduro e ambicioso, é uma abordagem mais austera, seu ritmo lento deixa os arcos narrativos de seus protagonistas que superam os mecanismos de ação.

Apesar de seu marketing, o filme não foi um sucesso de bilheterias, mesmo com Willis e Jackson a bordo. A julgar pelo desempenho de O Sexto Sentido, o choque  foi sem dúvida um desafio para Shyamalan, cuja crítica e o público estavam esperando por uma nova “reviravolta”, o que de fato aconteceu.

Pode alguém ser um super-herói sem estar ciente disso? Este é o caminho que Shyamalan escolheu explorar nos três filmes. O mínimo que podemos dizer é que “Corpo Fechado” é um filme bastante original, constantemente se pergunta para onde o diretor quer ir e o todo é encenado de maneira muito séria, como se quisesse dar importância ao assunto. Isso faz dele um filme pretensioso.

Corpo Fechado e as duas sequências seguintes são filmes injustiçados pela crítica. Talvez por não entenderem a mensagem do filme. Isso é uma pena, porque costumamos dar ouvidos aos críticos e com isso deixamos passar grandes obras cinematográficas. Foi assim com “Lucy” e “Cloud Atlas” (A Viagem: tudo está conectado), por exemplo, filmes magníficos, mas que caíram no esquecimento graças a ação dos críticos.

Recomendo que assistam os três filmes legendado, caso contrários vocês perderão 85% da atuação, especialmente em Fragmentado, onde James McAvoy dá um show de interpretação.

Corpo Fechado está disponível no catálogo da Netflix.

Facebook Comentários

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios