UFMG será responsável por testes para vacina contra o coronavírus

Foi anunciado durante a quarta-feira (1), pelo governador de São Paulo, João Dória (PSDB), 12 centros responsáveis pelos testes em humanos da vacina contra o coronavírus. Um desses locais será o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Butantan, responsável por coordenar as pesquisas, serão nove mil voluntários a realizar os testes em Minas Gerais, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná. A expectativa é que seja uma vacina promissora, porque utiliza de uma tecnologia já conhecida e aplicada em outras vacinas.

Em Pequim já foram realizados cerca de mil testes em voluntários da China, nas fases 1 e 2. Agora, já na fase 3, a empresa farmacêutica chinesa Sinovac Biotechque fornecerá a realização de testes em voluntários brasileiros. Apesar da confirmação, ainda não há uma data para a divulgação dos resultados.

Caso a vacina seja aprovada, a Sinovac e o Butantan firmarão um acordo de transferência para a produção em grande escala, tanto na China, quanto no Brasil, para ser fornecida gratuitamente ao Sistema Único de Saúde (SUS), para todo o país. De acordo com Dória, a capacidade de produção do Instituto Butantan é de 100 milhões de unidades da vacina.

Leia também: Empresa dos EUA afirma ter avanço em vacina contra Covid-19 e que poderá produzir mais de 1 bi de doses

A realização dos testes em outras cidades do Brasil

Assim como em Minas Gerais, pela UFMG, os testes realizados em São Paulo serão feitos pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Hospital Israelita Albert Einstein, a Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Hospital das Clínicas da Unicamp em Campinas, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e o Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

Além desses, as pesquisas serão realizadas também na Universidade de Brasília (UnB), Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro, Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul e Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná.

Deixe seu comentário