Dia Nacional do Livro Infantil: sete livros que aproximam crianças e jovens da natureza

No Brasil, o dia 18 de abril é conhecido pela comemoração nacional do livro infantil. Criado em 2002, é também o dia em que se comemora o aniversário do escritor Monteiro Lobato, considerado pioneiro e pai da literatura infantil brasileira. Mais do que lembrar e comemorar, a data nos traz um ponto de reflexão sobre as principais mensagens que estão sendo transmitidas e absorvidas por crianças e jovens, especialmente quando é preciso conversar com eles sobre temas difíceis, como a pandemia atual.

“A literatura infanto-juvenil é uma das ferramentas mais fortes que temos para cuidar das próximas gerações. É com ela que podemos ensinar a crianças e jovens tudo o que aprendemos com o nosso passado e a olhar com mais carinho para o futuro. O atual momento, por exemplo, reflete impactos gerados no meio ambiente: desmatamento das florestas, poluição do ar e das águas, além do surgimento de novas doenças. Tudo isso faz parte das ações geradas ao longo dos últimos anos. Nessa discussão, é impossível falarmos sobre o futuro sem falar sobre a preservação do meio ambiente”, avalia a coordenadora de comunicação da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Melissa Barbosa.

Para aproximar crianças e jovens da importância em manter a natureza protegida e bem conservada em favor do bem-estar de todos, a lista abaixo apresenta autores que trazem a temática do meio ambiente em suas obras. Confira:

A Reforma da Natureza, de Monteiro Lobato

Começando por ele, o pai da literatura infantil brasileira, a publicação traz uma reflexão sobre “e se você tivesse a oportunidade de reformar o mundo para deixá-lo do jeito que você quer? O que faria primeiro?”. Protagonizada pelos famosos personagens da Turma do Pica-Pau Amarelo, “A Reforma da Natureza” é uma leitura que garante aventuras, muita magia e uso da imaginação com as mudanças propostas por Emília, Dona Benta, Visconde de Sabugosa e Tia Anastácia.

O Menino da Terra, de Ziraldo

Trazendo provocações sobre “qual será o futuro do nosso planeta se as pessoas não respeitarem o mundo em que vivem?”, o autor do Menino Maluquinho fala sobre um possível recomeço para a humanidade e o que pode vir a acontecer se não tivermos o cuidado necessário e respeito com o meio ambiente.

Crianças da Amazônia, de Maurício Veneza

Em 32 páginas, o autor conta a história de Rodrigo, filho de seringueiro; Tonho, que mora numa casa que mais parece uma garça com as pernas dentro do rio; Francisco, que vive em Marajó; Joana, neta de quilombola; Bento, que é apaixonado pela festa do Boi-Bumbá; e Kiniriê, a garota indígena. O livro “Crianças da Amazônia” traz histórias de personagens locais e ensina as principais brincadeiras praticadas pelas crianças que vivem no Norte do país.

Coleção Meu Ambiente, da Fundação Grupo Boticário

E falando sobre brincadeiras, esta coleção de 18 livros paradidáticos trazem atividades, dicas e atividades que auxiliam crianças do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental a estarem mais próximas da natureza, mesmo dentro de casa. Desenvolvida com a coordenação pedagógica do Sistema Educacional Família e Escola (Sefe), a coleção contribui para o desenvolvimento de competências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), como o exercício da curiosidade intelectual e abordagem própria das ciências para investigar causas, elaborar hipóteses, resolver problemas e criar soluções. A coleção também conta a história da “Turma do Miguel”, 12 personagens que possuem uma grande paixão em comum: a natureza. A coleção completa está disponível para download gratuito no site.

A Última Gota, de J. L. Diego

Em tempos de crise hídrica, o autor mostra às crianças a importância em preservar a água e o quanto ela é essencial em nossas vidas. Protagonizada pela personagem ‘Kika’, a história descreve cenários de escassez, desperdício e possíveis ações que podem ajudar a conservar a qualidade do líquido mais precioso para o planeta.

Azul e Lindo: Planeta Terra, Nossa Casa, de Ruth Rocha e Otávio Roth

Na mesma onda de preservação da água, este livro também fala sobre a importância nos cuidados com os solos, para que não se tornem desertos, e da conservação das florestas, para que não sejam devastadas. Nessa história, os autores destacam as principais ações que podem ajudar a cuidar do meio ambiente e garantir qualidade de vida para as próximas gerações, vivendo em um planeta azul e lindo.

Os Rios Morrem de Sede, de Wander Pirolli e Lelis

Uma leitura direcionada não só para crianças e jovens, mas para todos que se preocupam com a exploração desenfreada de recursos naturais. O livro conta a história de um rio farto de peixes e vida que, com o passar de quarenta anos, recebe uma aparência escura e envenenada. ‘Os Rios Morrem de Sede’ fecha a nossa lista trazendo ensinamentos sobre como as ações do homem podem impactar os ecossistemas e afetar o futuro.

Sobre a Fundação Grupo Boticário

Com 30 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos. Já investiu cerca de R$ 80 milhões em mais de 1.600 iniciativas em todo o País. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.

Veja também:

Coronavírus: Amazon libera 50 mil ebooks para download gratuito, mas por tempo limitado

Comentários