The news is by your side.

Frutose não é tudo igual

A frutose é um açúcar natural, presente nas frutas, no mel e em alguns vegetais. Na indústria alimentícia, esse açúcar é usado amplamente no xarope de milho de alta frutose (HFCS), que é um tipo de açúcar artificial produzido do xarope de milho. Sendo assim, nenhuma frutose disponível no mercado é extraída do mel ou de frutas, mas apenas do milho.

A frutose natural da fruta gera energia para o organismo e, ao ser ingerida junto com outros carboidratos, proporciona melhora na taxa de oxidação da glicose, já o HFCS quando consumido em larga escala, está associado a diversos problemas de saúde, como hipertensão, obesidade e doenças cardiovasculares.

Enquanto pequenas quantidades de frutose provenientes de fontes naturais não provocam prejuízos, grandes doses de HFCS, presentes nos refrigerantes ou doces podem sobrecarregar o fígado e serem convertidas em gordura. O HFCS pode facilmente levar ao ganho de gordura excessivo. Além disso, pode aumentar o acúmulo de gordura visceral.

A frutose natural, que advém das frutas, é benéfica, visto que as frutas são ricas em fibras, que, ao serem ingeridas juntamente com esse açúcar, proporcionam sensação de saciedade, além de uma série de benefícios ao nosso organismo. A frutose industrial extraída do xarope de milho não possui nenhuma propriedade nutricional. O HFCS é, para a indústria, uma alternativa mais barata que a sacarose (açúcar comum), no entanto, para o consumidor, além de não conter nenhum nutriente ou fibras, promove menos saciedade.

Sendo assim, recomenda-se consumir as frutas com grande concentração de frutose de maneira moderada e também incluir mais fibras na alimentação. O suco deve ser evitado, visto que provoca um pico glicêmico no sangue, e promove menor saciedade. Além disso, todo processamento como descascar, assar, liquidificar, utilizado para converter as frutas em outros produtos favorece a perda de vitaminas, sais minerais e compostos bioativos, devido ao fato de muitas dessas substâncias serem alteradas em contato com a luz, o calor e o oxigênio.

Embora as frutas sejam, fonte de frutose, elas são também fontes de vitaminas e outros nutrientes, como as fibras. Por isso, quando se fala sobre o malefício da frutose, trata-se prioritariamente ao consumo excessivo de industrializados contendo xarope de milho rico em glicose e não ao consumo moderado da frutose natural presente, por exemplo, nas frutas e mel.