Ultimate magazine theme for WordPress.

Há 10 anos, Sorín se despedia do Cruzeiro

Nesta semana completaram-se 10 anos da despedida do ex lateral-esquerdo e ídolo do Cruzeiro, Juan Pablo Sorín. O evento foi um partida amistosa contra o Argentinos Junior-ARG, primeiro clube em que o ex-jogador jogou. O placar do jogo foi 2 a 1 para a Raposa, no Mineirão, com gols de Bernardo e Guerrón, para o time mineiro, e Santibáñesz para os visitantes. Na ocasião, a torcida cruzeirense entoou o canto: “olê, olê, olê, olê, olê, olê, olá. olê, olê, olê, a cada dia te quero mais. Oh, eu sou Cruzeiro, meu sentimento, não vai parar”.

https://twitter.com/CruzeiroDD/status/1191458128665153541

O evento, que completa uma década, não foi uma simples partida de futebol, mas uma marca importante para a história do jogador e do clube, que contou com presenças ilustres do ex-craque Sócrates (que faleceu dois anos depois), seu irmão Raí, o ex-volante Rincón, e cantores como Toni Garrido (vocalista do Cidade Negra) e o rapper Gabriel “O Pensador”.

Além disso, o Gigante da Pampulha recebeu um show da banda Skank, que no último domingo até anunciou sua turnê de despedida para 2020.

O ex-jogador fez questão de lembrar do evento tão marcante para sua carreira, que ficará eternamente na memória do torcedor cruzeirense.

Além da partida com presença de personalidades ilustres, Sorín recebeu a placa que o colocou no hall dos ídolos do Cruzeiro, marcando seus pés na calçada da fama do Mineirão.

No evento, foi arrecadado 90 mil toneladas de alimentos para instituições. “Vamos ajudar muita gente com tudo que vocês trocaram pelos ingressos. Obrigado à diretoria do Cruzeiro, a cada um dos funcionários, dos jogadores e especialmente a cada um de vocês”, disse o ídolo, chorando.

Como era um jogo festivo, Sorín atuou o primeiro tempo pelo Cruzeiro e o segundo pelo Argentinos Junior, usando o uniforme por cima da camisa celeste, que o ídolo ainda retomou pela última vez como jogador no fim da segunda etapa.

Comentários do Facebook