Final do anime “Naruto” completa três anos e fãs se declaram nas redes sociais

Em meio à preocupação acerca da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), algumas pessoas acordaram com um motivo para ter boas lembranças e nostalgia. Hoje, 23 de março, é o aniversário de três anos da exibição do último episódio de “Naruto”, um dos animes de maior sucesso da história. Para comemorar a data, milhares de fãs se manifestaram nas redes sociais, colocando o assunto entre os mais comentados do Twitter.

“Naruto” conta a história de seu homônimo, uma criança rejeitada no fictício mundo ninja em que vive por ter uma besta selada dentro de seu corpo. Sem saber os motivos de tamanha rejeição, o jovem Naruto coloca em sua cabeça que se tornará Hokage, cargo mais alto da vila em que vive, chamada “Aldeia da Folha”.

A partir daí, a história se desenrola e centenas de personagens são envolvidos e desenvolvidos numa trama que chegou em 700 episódios, contando as duas fases do anime. A parte chamada clássica, com Naruto e os demais personagens principais sendo pré-adolescente, e a parte nomeada “Shippuuden”, onde o protagonista e seus amigos já estão se encaminhando para a parte final da adolescência.

A história de “Naruto” é complexa, intrigante, engraçada, misteriosa e muito emocionante. Inclusive, nesses dias de pandemia, é uma ótima pedida. Os 700 episódios, se contar os fillers, que são episódios que não fazem parte da história original e que são adicionados para manter distância do anime e do mangá, formato original de “Naruto”, são garantia de entretenimento por um bom tempo. E para aqueles que não quiserem ver os fillers, que muitas vezes são desinteressantes, existem diversos sites que listam os episódios necessários, podendo o telespectador evitar aqueles mais pedantes.

Manifestações dos fãs

Além do anime e mangá, “Naruto” ganhou vasta gama de videogames, produtos personalizados e filmes. Vejamos algumas manifestações dos fãs nas redes sociais com a tag #ObrigadoNaruto:

Veja também: Filmes para você assistir durante a quarentena (parte 2)

Comentários