O que você procura?

Parque tecnológico e polo industrial: nova secretaria busca geração de emprego em Ouro Preto

Secretário de Desenvolvimento Econômico, Felipe Guerra conversou com o Mais Minas sobre seu plano estratégico e principais ações que estão em pauta na nova pasta.
Rômulo Soares 7 de janeiro de 2022 às 17:34
Tempo de leitura
6 min
Foto: Ane Souz / PMOP
Foto: Ane Souz / PMOP

Os trabalhos na gestão pública foram retomados em Ouro Preto nesta semana, com a reforma administrativa anunciada e os novos secretários empossados. Dentre as mudanças na administração, destaca-se a criação inédita da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia, que será chefiada pelo ex-secretário de Governo, Felipe Guerra (Yuri Assunção assume a Secretaria de Governo).

Mirando dois pontos muito importantes para a economia ouro-pretana, geração econômica e diversificação da economia, Felipe Guerra falou ao Mais Minas sobre seu plano estratégico e principais ações que estão em pauta na nova secretaria que terá as seguintes frentes:


  • Inovação e Tecnologia
  • Indústria e Comércio
  • Economia Criativa
  • Setor de Estudos Econômicos
  • Gestão e Captação de Recursos
  • SINE

“Nós já começamos um trabalho, ainda como secretário de Governo, acompanhando uma medida compensatória da Samarco, que contratou a empresa Plan para fazer uma série de estudos e reuniões com as comunidades, setor produtivo, poder público e conselhos para a diversificação da nossa economia”, contou Felipe Guerra.

O acompanhamento desse trabalho tem sido feito em conjunto com o Conselho de Desenvolvimento, que foi criado enquanto Felipe Guerra era secretário de Turismo, Indústria e Comércio, e que agora também estará ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico. A ideia é transformar tal conselho em deliberativo (até então era apenas de caráter consultivo) para dar um passo maior na criação de um fundo próprio para ações de diversificação econômica.

Felipe Guerra vê a cidade de Ouro Preto atrasada em termos de políticas públicas de desenvolvimento econômico e, portanto, terá que correr contra o tempo para alcançar as metas traçadas neste início de trabalho. “Terá a revisão de algumas leis na prefeitura e principalmente para que a gente consiga diminuir o tempo de abertura de empresas em Ouro Preto. Isso para atrair novas empresas, ajudar o microempreendedor individual e, com isso, incentivar o empreendedorismo na cidade.”

O secretário de Desenvolvimento Econômico vê Ouro Preto com o ambiente propício para empresas de tecnologia, algo que foi reiterado por um estudo feito pela Samarco. Assim, mirando a diversificação econômica da cidade, Felipe conta que a pasta iniciará algumas ações para atrair inovação e tecnologia para o município.

“Temos grandes empresas em Ouro Preto, com exemplos nacionais e internacionais, como a Gerencianet, que gera muitos empregos e traz muito recurso para o município. Ouro Preto é uma cidade cercada por empresas de mineração que precisam sempre de tecnologia e inovações. Temos uma Universidade Federal, um Instituto Federal, estamos muito perto da capital. Então, celebramos, junto à UFOP, uma ação para a criação de um parque tecnológico em Ouro Preto”, revelou o secretário.

A administração pública de Ouro Preto, então, está enviando um projeto ao Ministério de Ciências e Tecnologia, junto com a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), pleiteando recursos de R$ 10 milhões para a estruturação de um parque tecnológico, onde haverá uma incubadora de empresas para que o desenvolvimento da cidade e criação de vários empregos na área de inovação e tecnologia.

O professor Jorge Adílio, funcionário da Secretaria de Governo responsável pelas relações com a UFOP e Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) para convênios, também vai para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Indústria e comércio

Parque tecnológico e polo industrial: nova secretaria busca geração de emprego em Ouro Preto
Foto: Filipe Lage / PMOP

Houve a manutenção do departamento de indústria e comércio, que antes ficava na pasta do Turismo. Atualmente, Ouro Preto tem dois polos industriais, um já esgotado, em Antônio Pereira, que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico pretende ampliar, e outro em Cachoeira do Campo, onde teve um chamamento público recentemente para um galpão, vencido pela GSA Alimentos, empresa que promete gerar mais de 300 empregos, sendo 60% deles para mulheres.

Além disso, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico planeja a criação de um polo industrial na região de Miguel Burnier. Para isso, o prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo (PV) fez vários contatos com o Governo do Estado, deputados, como José Silva (Solidariedade), para que haja o asfaltamento de um trecho que será crucial na criação desse novo polo.

Haverá, também, o setor de gestão e captação de recursos na Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Ele será responsável por captar, inclusive, verbas parlamentares.

E ainda, a nova secretaria planeja investir na economia criativa local, considerando que Ouro Preto é uma cidade com muita produção cultural, possui um turismo forte e é celeiro de várias artes do Brasil e do mundo, com vários potenciais comerciais.

Sala do mineiro empreendedor

As salas de estudos econômicos será no mesmo local da sala do mineiro empreendedor, que está prestes a ser inaugurada. Lá será uma grande área para os microempreendedores e para manter os números e dados de Ouro Preto atualizados. Todo o equipamento da sala foi doado pelas empresas mineradoras.

O local será aberto em menos de quatro dias, segundo Felipe, respeitando o perímetro tombado, porém o endereço ainda não foi definido. O lugar será, também, um importante auxílio ao empreendedor que quer ter acesso aos dados para saber a maneira correta de se investir em Ouro Preto.

SINE

O SINE era um trabalho ligado à Secretaria de Desenvolvimento Social e agora será integrante da nova pasta. Ali serão colocadas todas as vagas de emprego na região, cursos, auxílio a quem precisa de emprego.

“Esse setor será fortalecido na nossa secretaria. A gente pretende que todas as vagas das empresas que vierem para Ouro Preto sejam anunciadas através do SINE, evitando algum tipo de benefício político e premiando a escolha técnica, com cada vez mais transparências”, disse Felipe Guerra.

Agropecuária

Por fim, a agropecuária — setor que já tem uma secretaria em Ouro Preto — será mais uma aliada nos trabalhos da nova pasta. “Pretendemos ajudar a secretaria (de agropecuária) a elevar os números econômicos do setor em Ouro Preto.”

ATENÇÃO: Ao copiar uma matéria do Mais Minas, ou parte dela, não se esqueça de incluir o link para a notícia original.

Última atualização em 7 de janeiro de 2022 às 23:14